Notícias

Subscrever feed Notícias
Prevenção, opinião e notícias de Trânsito.
Atualizado: 55 minutos 25 segundos atrás

CFC News: PLs que afetam a formação de condutores, placa Mercosul e DPVAT

seg, 20/01/2020 - 20:53

Celso Alves Mariano, especialista em trânsito,  apresenta o CFC News com as principais notícias da semana.

PLs que afetam o processo de formação de condutores

O assunto da semana está sendo os dois Projetos de Lei – um da Câmara e outro do Senado – que impactam diretamente o processo de formação de condutores.

Placa Mercosul

Mais dois estados estão finalizando o processo de adoção da placa Mercosul no País. Os DETRANs têm até 31 de janeiro para iniciar o novo modelo de emplacamento.

DPVAT

Os proprietários de veículos que buscaram a restituição do valor pago a mais no DPVAT 2020, tiveram problemas na solicitação junto ao site disponibilizado pela Seguradora Líder.

O post CFC News: PLs que afetam a formação de condutores, placa Mercosul e DPVAT apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

PLS pretende desobrigar a frequência em autoescolas para obtenção da CNH

seg, 20/01/2020 - 08:10
O texto da proposta prevê ainda que os departamentos de trânsito deverão tornar mais rigorosos e criteriosos os exames teóricos e práticos. Foto: Arquivo Tecnodata.

Desobrigar a frequência em autoescolas para a realização dos exames práticos e teóricos como condição para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), esse é o tema do PLS 6485/19 que foi apresentado no final do ano passado e está tramitando no Senado Federal.

De autoria da senadora Kátia Abreu (PDT-TO), o projeto altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) para deixar de exigir como condição prévia para a realização dos exames de que trata o art. 140, a frequência em cursos teóricos e práticos de autoescolas ou outras entidades destinadas à formação de condutores para as categorias A e B.

Se o Projeto de Lei for aprovado, será autorizado o treinamento com instrutor independente desde que esse seja credenciado junto ao Detran, tenha mais de vinte e cinco anos de idade e pelo menos três anos de habilitação na categoria que pretende instruir (A ou B).

O texto da proposta prevê ainda que os departamentos de trânsito tornem mais rigorosos e criteriosos os exames teóricos e práticos necessários para a obtenção da carteira nacional de habilitação.

Para Abreu, o custo de obtenção da CNH é impeditivo para grande parte da população.

“Na composição de custos para obtenção da CNH – que pode chegar a um valor de R$ 3 mil – o principal fator é o que se refere a obrigatoriedade de se frequentar aulas teóricas e práticas em autoescolas, que equivale a cerca de 80% do dispêndio total. Esse gasto, na maioria das vezes, é inviável para a maioria das famílias mais pobres em todo o País”, afirma a Senadora em sua justificativa.

Ainda segundo a Senadora, par garantir a segurança do trânsito, os Detrans deverão expedir normas para tornar mais rigorosos e criteriosos os exames teóricos e práticos necessários para a obtenção da CNH, de acordo com as novas regras. “Não podemos desconsiderar a realidade que a expertise de direção veicular pode ser adquirida empiricamente pela prática e pela observação, muitas vezes obtidas no próprio núcleo familiar. Além disso, o tempo de aprendizado depende da habilidade de casa indivíduo, nesse sentido, acrescentamos dispositivos autorizando o exercício da atividade de instrutor nas categorias ‘A’ e ‘B’”, complementa Abreu.

Para Celso Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal, vale lembrar que em alguns países, como os Estados Unidos, por exemplo, o cidadão comparece no departamento de trânsito diretamente para fazer a prova, e se ele passar, ele não precisa realizar aulas obrigatoriamente, tanto para a parte teórica quanto para a prática.

“Uma boa parte desses cidadãos, como é de se imaginar, não consegue passar, não passa com facilidade. E acaba daí sim procurando uma instituição especializada, uma autoescola, e paga bem por esse processo, por esse curso, porque há um interesse em passar naquela avaliação. Esse modelo americano tem influenciado muito, acho que inclusive as altas esferas do nosso atual governo, pelo atrativo que é realmente significativo da simplificação do processo”, acredita Mariano.

O especialista diz ainda que para um modelo assim funcionar bem, era preciso garantir que a avaliação fosse de fato muito bem feita.”Vou estabelecer uma correlação, para entrar numa Universidade ninguém está obrigado a contratar aulas num cursinho. Ou para prestar a prova do Enem, que vem se tornando padrão no ingresso das Universidades, ninguém é obrigado a contratar um curso preparatório para o Enem, e esse raciocínio vale para qualquer concurso público. Bem, porque que então é um mercado tão efervescente esses cursos preparatórios? Porque é muito difícil passar na prova. Então se quisermos adotar um modelo como esse no Brasil, nós temos primeiro que criar uma estrutura que hoje não temos”, esclarece.

De acordo com Mariano, os DETRANs não têm boas provas, aliás ao contrário, há inúmeras críticas. “Nós mesmos do Portal do Trânsito temos mostrado no nosso site quantas questões absurdas caem nas provas teóricas e quanto da avaliação prática é no fundo uma bobagem ou valoriza coisas pouco importantes. Por exemplo, é altamente penalizado o aluno que comete erros na baliza, é claro que isso é importante porque revela a habilidade que esse futuro condutor tem ou conseguiu adquirir com o veículo, mas estacionar demoradamente ou erroneamente não mata ninguém. Tem coisas muito mais importantes para serem avaliadas que deveriam ter outros pesos nas avaliações”, garante o especialista.

O especialista acredita que ainda não estamos preparados para essa mudança no sistema atual de formação de condutores. “O Projeto de Lei da senadora Kátia Abreu está defendendo algo que realmente simplifica, é possível simplificar e baratear, mas nós não temos condições ainda de fazer isso. Nós temos que fazer uma lição de casa antes. Hoje nós temos um Departamento Nacional de Trânsito cujas definições não são obedecidas pelos DETRANs. É incrível como cada Detran, cada estado brasileiro tem regras próprias. Isso demonstra que nós não temos essa unidade. Quanto tivermos esse ambiente, aí podemos pensar”, avalia.

Mariano conclui ainda dizendo que no Brasil que existem bons CFCs e bons instrutores preparados para formar um bom condutor.

“Vou dar minha opinião técnica, de mais de 20 anos de experiência, e vamos separar o joio do trigo, eu sei que tem CFCs que dão aulas mais ou menos, que estão longe do ideal, que burlam, que dão cursos de baixa qualidade. Isso não deveria ser assim, então eu vou separá-los. Vamos considerar um bom CFC, com boa metodologia, com instrutores comprometidos em dar aquela formação de ir além da questão comercial de estar atendendo um cliente. Um bom CFC, bem estruturado, é incomparavelmente melhor para formar condutores do que deixar a pessoa estudar sozinha”, finaliza.

Tramitação

O Projeto de Lei está em início de tramitação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Se o projeto for aprovado pela CCJ, ele poderá seguir diretamente para a Câmara dos Deputados. Ele só será analisado pelo Plenário do Senado se houver requerimento para que isso aconteça, assinado por pelo menos nove senadores.

E você? É a favor ou contra esse Projeto de Lei? Dê a sua opinião, clique aqui.

O post PLS pretende desobrigar a frequência em autoescolas para obtenção da CNH apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

No Acre, emissão de placas padrão Mercosul inicia na próxima segunda-feira

dom, 19/01/2020 - 08:26
As novas placas visam coibir fraudes e substituir o lacre Foto: Ana Flávia Soares

As Placas de Identificação Veicular (PIV), também conhecidas como placas padrão Mercosul, começam a ser implantadas pelo Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran/AC) na próxima segunda-feira, 20. O órgão explica quem deve solicitar o modelo de emplacamento e o passo a passo para obtê-lo.

O novo sistema de identificação de veículos tem como objetivo padronizar a identificação e fiscalização entre os países vizinhos, garantindo mais segurança contra falsificações e fraudes.

“O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estabeleceu em todo o país que até o mês de janeiro os estados deveriam realizar a emissão de placas padrão Mercosul. O Detran/AC está cumprindo com essa exigência”, explica o presidente do Detran/AC, Luiz Fernando Duarte.

As novas placas são revestidas com película retrorrefletiva e têm fundo branco com margem superior azul. Além de estampar a bandeira brasileira com o símbolo do Mercosul, possuem sete caracteres e apresentam Quick Response Code (QRCode)  e número de ID único.

É obrigatório? 

De acordo com a Res.780/19, a implantação é obrigatória para o primeiro emplacamento, ou seja, o cidadão que adquirir um veículo novo já deve obter a placa padrão Mercosul.

Para os veículos que já estão em circulação, a PIV será exigida somente nos casos de transferência de domicílio de veículos (mudança de estado ou município), mudança de categoria do veículo, furto ou roubo e dano da referida placa.

“Um exemplo é se o lacre da placa antiga quebrar, como não vai mais existir lacre, será obrigado a trocar pela placa Mercosul”, explica o presidente do Detran/AC, Luiz Fernando Duarte.

Mesmo que seu veículo não se enquadre nessas condições, se desejar, o proprietário pode adotar o novo sistema de emplacamento.

Passo a passo

1- O cidadão de Rio Branco deve dirigir-se à Unidade de Vistoria do Detran/AC para realizar o procedimento de vistoria veicular. Já em outros municípios, deve procurar as Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans) para realizar o procedimento;

2-Depois de feita a vistoria, deve dirigir-se à Unidade de Atendimento de Veículos para abertura do serviço, nos outros municípios deve procurar as Ciretrans;

3- O cidadão paga as taxas do serviço;

4- Após a abertura do processo, será gerado um código de autorização para estampagem, este código fica disponível dentro do prazo de 48 horas. Os interessados podem acessar o site do Detran para acompanhar a emissão código, basta informar a placa e renavam, ou chassi do veículo;

5- O cidadão procura um estampador com o código de autorização em mãos ou solicita que o próprio estampador consulte o código no site do órgão;

6- A placa é confeccionada pelo estampador e colocada no veículo;

7- O cidadão retorna para o Detran/AC para receber o Certificado de Registro de Veículos (CRV).

O link para verificar o código de autorização estará disponível na aba de veículos (imagem ilustrativa)

Documentos necessários

Vistoria Veicular

Documento original com foto e cópia

Nota fiscal (veículos novos)

CRV (antigo DUT)

Valores

Antes de iniciar o emplacamento, os veículos devem passar pela vistoria veicular, este serviço custa R$54, 47. Para os carros zero quilômetro, a taxa de primeiro emplacamento é de R$ 153,40.

O cidadão que optar por adquirir a nova placa, mesmo não sendo obrigatório no seu veículo, paga a taxa de abertura do serviço de que custa R$54,47 mais o valor da segunda via do CRV que é de R$108,14.

Já o valor das placas fica estipulado pelos estampadores. De acordo com representante da classe, Igor Farias, o valor em média do par de placa é de R$ 250 para carros e de R$ 140 a R$ 150 para motos.

Com informações do Detran/AC

 

O post No Acre, emissão de placas padrão Mercosul inicia na próxima segunda-feira apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Qual a diferença do DPVAT para o seguro de carro particular? Tire suas dúvidas!

sab, 18/01/2020 - 08:12

Por Jeniffer Elaina

do SeguroAuto.org

Foto: Divulgação Agência.

Muitas pessoas se questionam sobre a diferença do DPVAT para o seguro de carro particular, acreditando que pelo fato do primeiro ser obrigatório, não existe motivo para contratar o segundo e arcar com dois gastos para um mesmo serviço.

No entanto, apesar de os dois serem seguros voltados para veículos, suas finalidades são diferentes. Neste artigo explicaremos as diferenças entre o DPVAT e o seguro de carro particular e como cada um deles funciona.

Entenda como o DPVAT e seguro de carro particular funcionam

A melhor maneira de entender a diferença entre o DPVAT e o seguro de carro completo, que é aquele que contratamos de forma particular com um corretor de seguros é conhecendo um pouco melhor cada um desses serviços. Por isso, explicaremos melhor cada um deles a seguir, acompanhe.

O DPVAT – Seguro por Danos Pessoais causados por Veículos Automotivos Terrestres, é um serviço de pagamento obrigatório a todos os proprietários de veículos e cobrado anualmente.

Sempre pago no início do ano, seu valor é definido pelo Governo Federal e seu recolhimento é realizado pela Seguradora Líder em todo o País. O montante recolhido é destinado para investimentos na saúde pública (45%), melhorias municipais (5%) e o pagamento de indenizações das vítimas de acidentes de trânsito (50%).

O fundo arrecadado pelo DPVAT serve apenas para indenizações pessoais de vítimas de acidentes de trânsito, podendo ser solicitado para a cobertura de despesas médicas e hospitalares, e para indenizações em casos de morte ou invalidez.

Sendo assim, mesmo que você não tenha um plano de saúde com coparticipação ou integral, pode ter as despesas médicas reembolsadas, desde que estejam dentro das normas do DPVAT.

Vale ressaltar que para o recebimento das indenizações não existe a necessidade de contar com o intermédio de terceiros.

Basta que a vítima entre em contato com a Seguradora Líder e realize o procedimento de solicitação, após a entrega dos documentos o pagamento é realizado diretamente na conta corrente da vítima em até 30 dias.

Já o seguro de carro particular deve ser contratado pelo motorista diretamente com uma seguradora especializada e tem a finalidade de cobrir despesas relacionadas ao veículo.

Ou seja, essa proteção é destinada exclusivamente aos danos relacionados ao carro, sejam eles causados por colisões, incêndio, roubo ou furto e mais.

As coberturas do seguro de carro particular são personalizáveis e o valor final dessa contratação depende de diferentes fatores, como as coberturas escolhidas, características do veículo e informações pessoais do condutor.

Mas afinal, qual a diferença do DPVAT para o seguro de carro?

A diferença desses dois serviços está justamente na finalidade indenizatória de cada um deles. Enquanto o DPVAT pode ser solicitado por qualquer vítima de acidente de trânsito, independente do culpado e realiza apenas indenizações de danos pessoais.

O seguro de carro particular é contratado para cobrir possíveis despesas relacionadas ao veículo, provenientes de colisões e outros acidentes.

Além disso, ele oferece indenizações em casos de perda total, seja por um acidente ou por um caso de roubo, ou furto.

Enquanto o DPVAT tem seu pagamento obrigatório, o seguro de carro particular possui contratação opcional, ou seja, para que você conte com esse serviço é preciso avaliar suas necessidades, escolher uma empresa e a melhor cobertura para você e pagar pelo serviço.

 

O post Qual a diferença do DPVAT para o seguro de carro particular? Tire suas dúvidas! apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

PL pretende alterar o sistema de vinculação de instrutores de trânsito

sex, 17/01/2020 - 08:15
Foto: Arquivo Tecnodata.

Alterar o sistema de vinculação de instrutores de trânsito, esse é o tema do PL 5558/2019 que está tramitando na Câmara dos Deputados.

De autoria do deputado Lucas Gonzalez (NOVO-MG), o projeto altera o tipo de vínculo do instrutor de trânsito para permitir que a instrução de prática de direção veicular para obtenção da CNH possa ser realizada por instrutores de trânsito não vinculados a um CFC.

Se o Projeto de Lei for aprovado, o instrutor de prática de direção veicular não vinculado a um CFC poderá atuar devidamente credenciado aos órgãos executivos de trânsito dos Estados ou do Distrito Federal, desde que comprove capacidade técnica para atuação, conforme normas por eles estabelecidas.

O texto da proposta prevê ainda que o instrutor não vinculado atenda às exigências previstas para o exercício da profissão.
Para Gonzalez, a regulamentação prevista pela Resolução nº 358/10 cria reserva de mercado aos CFC‟s, além de limitar a atuação do profissional instrutor. “Este profissional é regulamentado vide Lei 12.302/10, sendo segundo seu Artigo 2 o responsável pela formação do condutor. Desta forma, deveria caber aos instrutores a escolha em se vincular a um CFC para que possa exercer suas prerrogativas profissionais ou a qualquer outro tipo de entidade ”, afirma o deputado em sua justificativa.

Ainda segundo o deputado, o Supremo Tribunal Federal (STF) apresenta farta jurisprudência no sentido de julgar que a intervenção estatal na regulação de determinados setores da economia pode violar a liberdade de iniciativa, em determinados casos. “O STF firmou entendimento de que a atividade dos CFCs constitui atividade eminentemente econômica, não serviço público, por se tratar de uma das ‘atividades não inseridas entre aquelas que têm finalidade pública precípua abrigada no Direito, que contrariam os princípios jurídicos (…) que não podem ser cuidadas como se de atribuição do Poder Público fossem’. Com isso, pode-se inferir que está em pauta um debate acerca de liberdades individuais no exercício de atividade econômica que, embora sujeita à credenciamento, não constitui concessão pública ou contrato administrativo análogo”, complementa Gonzalez.

Tramitação

O Projeto de Lei está aguardando designação de relator na Comissão de Viação e Transportes (CVT).

O post PL pretende alterar o sistema de vinculação de instrutores de trânsito apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Quinta-feira é dia de tirar dúvidas sobre o trânsito. Acompanhe!

qui, 16/01/2020 - 14:34

O especialista Celso Mariano e a jornalista Mariana Czerwonka respondem, ao vivo, as questões enviadas pelos internautas. O programa vai ao ar toda quinta-feira, às 14h30.

O post Quinta-feira é dia de tirar dúvidas sobre o trânsito. Acompanhe! apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Projeto prevê apresentação pela internet de recurso contra multa de trânsito

qui, 16/01/2020 - 08:16
Foto: Arquivo Tecnodata.

O Projeto de Lei 5794/19 dá aos condutores de veículos a possibilidade de protocolar por meio eletrônico recurso de infrações, defesa prévia e indicação de condutor. Pelo texto, o serviço deverá ser oferecido pelo órgão de trânsito, conforme regulamentação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

A proposta, da deputada Rejane Dias (PT-PI), tramita na Câmara dos Deputados. O texto acrescenta a medida ao Código de Trânsito Brasileiro.

A ideia da parlamentar é gerar eficiência ao processo relativo às infrações.

“Com a atual disponibilidade de tecnologia, não fazem sentido os tempos de espera nos órgãos de trânsito. Do mesmo modo, alguns serviços que atualmente são feitos via remessa postal já deveriam estar disponíveis na internet”, defende.

Rejane Dias lembra que cidades como São Paulo e Curitiba já oferecem o serviço. “O momento inicial da viabilidade foi superado e cabe ao Parlamento adotar medidas para que essas facilidades cheguem aos cidadãos de todo o País”, diz.

Se a nova regra for aprovada e virar lei, os Detrans terão um ano para implantá-la. Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

As informações são da Agência Câmara

O post Projeto prevê apresentação pela internet de recurso contra multa de trânsito apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Instrutor motivado = aluno motivado?

qua, 15/01/2020 - 14:29
Foto: Picspree

Como motivar uma geração de alunos que está conectada o tempo todo, geração que já nasceu vivenciando a tecnologia em todo o mundo, obtendo informações de maneira muito rápida, com acesso a todo tipo de conteúdo, e que obtém respostas de vários níveis antes mesmo de chegar ao CFC?

Não há uma única resposta. Pode-se partir do princípio que é necessário conhecê-los bem para poder dar o melhor a eles, e ter certeza de que irão entender a mensagem e buscar informações. É preciso entender a importância de despertar neles a vontade de questionar, querer saber, querer aprender e, aceitar isso. Eles precisam acreditar que são capazes.

Hoje já não é o bastante ter domínio do conteúdo. Por muito tempo acreditou-se que para ser um bom Instrutor bastava apenas ter conhecimento na sua área de atuação. E, por se tratar de um ensino de jovens e adultos, não seria necessário que esse processo fosse realizado de forma contextualizada e didática.

É preciso se enquadrar à realidade que se apresenta, ter envolvimento e comprometimento com a aprendizagem dos alunos, entender que, ainda que muito deles não demonstrem o respeito e dedicação que deveriam, há outros que tem interesse e acabam sendo prejudicados pela desistência e acomodação.

Muitos alunos vão ao CFC sem a menor noção do que os espera, a maior preocupação não é a formação e sim o “produto final”: ter a sua CNH em mãos, é um rito de passagem, é a última fronteira a ser ultrapassada para ser considerado um adulto. Esse é o pensamento da grande maioria do público atendido pelos CFCs. Algumas exceções, claro. Um fator muito importante a se considerar na preparação das aulas: em nenhum outro local que se dedica à educação, à formação, tem público tão heterogêneo.

Independente da faixa etária, todos chegam com muita expectativa ao CFC, e muitos se frustram: seja porque imaginam que poderiam de alguma forma realizar seu grande sonho mais rapidamente, seja porque acreditam que já sabem tudo o que está sendo apresentado. O início é um marco e dará o tom de como será o curso: se os alunos, ainda que decepcionados (ainda bem que nem todos) forem motivados adequadamente, deixarão de lado todas as suas suposições e, com certeza, poderão aproveitar muito o curso.

A responsabilidade do Instrutor vai muito além de ensinar, de apresentar o conteúdo. Certamente é o foco principal, mas buscar ferramentas para produzir a vontade de saber, a preocupação com o aprendizado e buscar soluções para reverter o quadro de uma possível não aprendizagem é o que o diferencia dos que não se importam.

O Instrutor é o responsável pela mudança de um aluno, ele que tem o poder de tornar essa mudança positiva.

E ao Instrutor ainda pesa a carga de que o aluno é um cliente e, com certeza, uma reprovação onera o processo para obtenção da CNH. Muitas vezes, é nesse momento que a concorrência apresenta atrativos que, no início do processo não eram tão interessantes, mas diante de uma reprovação, podem interessar, não para o aluno que já está cursando, mas a propaganda negativa em futuras indicações.

Algumas estratégias de aprendizagem podem ser utilizadas para melhorar a organização do conhecimento de jovens e adultos:

Aulas expositivas dialogadas têm um grande valor

Ao contrário das aulas simplesmente expositivas, em que os alunos ficam passivos, as aulas expositivas dialogadas são, estrategicamente, mais eficientes para o aprendizado dos alunos, pois permitem que interajam com o Instrutor e com os seus colegas de curso, contextualizando e construindo o conhecimento de uma forma coletiva. Com esta estratégia é possível estimular os alunos e articular com eles o processo de construção do conhecimento. O ponto forte dessa estratégia é o diálogo que se estabelece e a participação ativa de todos no decorrer das aulas com a construção da aprendizagem.

Aulas práticas (não aulas práticas de direção) são excelentes para a aprendizagem

Pela prática, o Instrutor consegue aproximar o conteúdo da vivência dos alunos e fazer com que visualizem em seu dia a dia aquilo que está sendo estudado. Além disso, com as práticas os alunos se deparam com resultados e são desafiados a questioná-los, o que instiga sua imaginação e raciocínio. Embora aulas práticas sejam consideradas uma boa estratégia para a efetivação da aprendizagem, elas necessitam estar diretamente relacionadas com os conteúdos que estão sendo trabalhados, para que assim possam auxiliar no melhor entendimento da parte teórica e tenham um resultado eficaz.

Discussão em grupo

Proporciona a participação de todos os alunos no processo de resolução de dúvidas e questionamentos, o que torna a busca pelas respostas um processo de aprendizagem mais interessante. Tem o potencial de promover uma aprendizagem mais ativa por meio do estímulo ao pensamento crítico, ao desenvolvimento da capacidade de interação, negociação de informações e resolução de problemas, o que está diretamente ligado ao seu futuro como condutor. Durante as discussões o aluno é direcionado a dar a sua opinião a respeito do assunto, concordando ou não com os demais, fazendo com que, assim, sejam expostos conceitos e concepções diferenciados que juntos constroem e organizam o tema discutido. A partir dessa estratégia, o conhecimento é construído de forma coletiva e a ele são incorporadas ideias e novos conceitos.

Mapa conceitual

É uma estratégia de ensino que há pouco tempo começou a ser utilizada e tem cada vez mais espaço entre os recursos utilizados na educação. O uso de mapas conceituais instiga o aluno a refletir, pesquisar, selecionar e elaborar o conhecimento de uma forma diferenciada e significativa. São dinâmicos, o que acaba sendo bem aceito pelos alunos. Não é uma estratégia com metodologia fixa, ou seja, à medida que novos conhecimentos surgem, as novas informações podem ser inseridas nesse mapa conceitual, fazendo com que o aluno visualize tudo e assim interprete de uma melhor forma a sua produção, conhecimento anterior e reelabore. O aluno organiza o seu conhecimento, resume, revisa e incorpora a ele novos conhecimentos com maior eficiência.

Seminários

Podem ser desenvolvidos individualmente e possibilitam uma boa aquisição de conhecimento. Podem ser utilizados para diferentes propósitos, entre eles a identificação de problemas; a análise de diferentes aspectos; a apresentação de informações relevantes; a apresentação de resultados aos membros do grupo; os comentários, críticas e sugestões dos colegas e do Instrutor. Por intermédio das pesquisas para a elaboração do seminário os alunos estimulam sua autonomia e se deparam com diversas informações que necessitam sintetizar e organizar. Desta forma, é possível que os alunos aprendam mais realizando a busca pelas informações e expondo-as posteriormente para os demais colegas e para o Instrutor. Essa é uma estratégia de maior dificuldade de aplicação no CFC devido ao tempo de duração do curso de 1ª Habilitação, contudo, pode ser adaptada e utilizada.

Utilização de TICs (tecnologia de informação e comunicação)

É uma das mais importantes estratégias de ensino. Quando o aluno visualiza e interage com o que está estudando, torna-se mais fácil o entendimento. O uso dessas ferramentas torna as aulas mais atrativas, apoiando Instrutores e alunos na construção do conhecimento. As TICs apresentam-se sob diversas formas: internet, softwares, jogos eletrônicos, blogs, recursos audiovisuais, entre tantos outros. Os alunos já levam toda a tecnologia em seu celular para sala de aula, por que não aproveitar essa ferramenta para a aprendizagem? Esses recursos diferenciados propiciam o acesso a diferentes informações que contribuem para o aprendizado dos alunos que se sentem mais motivados e atraídos pela aula por utilizarem ferramentas que dominam, o que faz com que a aprendizagem aconteça mais facilmente

Estar em sala de aula, com alunos mais motivados e interessados é muito mais gratificante do que observá-los bocejar, digitar em seu celular ou olhar para as paredes. Por estas e outras que há a necessidade de o Instrutor variar as suas metodologias e tentar fazer com que seus alunos tenham uma aprendizagem significativa.

As estratégias sugeridas podem ser utilizadas de maneira mais simplificada, adaptadas à realidade que o Instrutor vivencia em sua turma. O importante é o compromisso com a aprendizagem do aluno. Na realidade atual, não cabe mais o modelo de “adestramento” que prepara para a aprovação nas provas do DETRAN. Há que se tratar da aprendizagem dentro dos CFCs com responsabilidade, pois estes mesmos alunos que estão em sala de aula hoje, estarão no trânsito amanhã e o que levarem de conhecimento fará uma grande diferença para a segurança de todos no trânsito.

Boa aula!

O post Instrutor motivado = aluno motivado? apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Jerry Adriane Dias Rodrigues deixa diretoria do Denatran

qua, 15/01/2020 - 08:15
Foto: Entrevista gravada no DENATRAN, em 07/08/19.

Jerry Adriane Dias Rodrigues não é mais Diretor-geral do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Dias é Policial Rodoviário Federal há mais de 25 anos e atuou na educação, na formação de policiais e na instrução de trânsito em diversos locais.

Quem assume o cargo é Frederico de Moura Carneiro que era Analista Legislativo na Câmara dos Deputados e foi cedido à Secretaria Nacional de Transportes Terrestres do Ministério da Infraestrutura para ocupar o cargo de Diretor do Departamento Nacional de Trânsito, conforme o ATO DE 13 DE JANEIRO DE 2020, publicado no Diário Oficial da União.

Além de Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados na área de Desenvolvimento Urbano, Trânsito e Transportes, Moura Carneiro é Engenheiro Civil pela Universidade de Brasília, especialista em Criminalística, área em que exerceu o cargo de Perito Criminal da Polícia Civil do Distrito Federal. Atuou principalmente nos seguintes temas: acidentes de trânsito, vítimas fatais, motocicletas e causa determinante.

Ainda não há informações sobre o motivo da saída do ex-diretor. Em agosto do ano passado, uma suposta carta de demissão de Dias Rodrigues circulou em grandes jornais brasileiros. À época Dias Rodrigues negou o fato.

O Portal do Trânsito entrou em contato com a Assessoria de Comunicação do Ministério da Infraestrutura e até o fechamento da reportagem não teve retorno sobre a situação.

A posse de Frederico Moura Carneiro acontece na quinta-feira (16) às 10h no Auditório Professor Lourenço Chehab, na sede do Ministério da Infraestrutura.

O post Jerry Adriane Dias Rodrigues deixa diretoria do Denatran apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Pesquisa detecta álcool em quase 40% dos mortos no trânsito do RS

ter, 14/01/2020 - 08:12
Teste do etilômetro (bafômetro) é obrigatório em blitze da Balada Segura – Foto: Divulgação DetranRS

Uma parceria entre o DetranRS e o Instituto-Geral de Perícias (IGP) permitiu ao Rio Grande do Sul chegar a um diagnóstico sobre a influência do álcool em acidentes de trânsito. O cruzamento das informações das vítimas com as perícias realizadas pelo IGP em 2018 detectou que 38,3% dos mortos no trânsito do Estado tinham álcool no sangue. Para os condutores que morreram nas madrugadas de domingo, esse percentual chega a 94,7%. A amostra totalizou 1.047 vítimas, ou 62,7% do total de mortos no período. O acompanhamento passará a ser permanente.

Entre os motoristas mortos em acidentes de trânsito no ano passado, 41,3% tinha algum grau de álcool no sangue. Mas o dado mais surpreendente é a presença de álcool em 45,9% dos pedestres vítimas de acidentes de trânsito em 2018. Também chama a atenção o percentual de ciclistas mortos com álcool no sangue (42,1%), maior que entre os motociclistas (34,4%). Mais da metade dos ciclistas e pedestres que tiveram resultado positivo para álcool morreram em rodovias.

Dia e hora

Os resultados da pesquisa mostraram que os testes positivos para alcoolemia em vítimas de trânsito são maiores durante a madrugada (64,6%) e no turno da noite (48,6%). O álcool também está mais presente nas vítimas que morrem aos domingos (59,7%) e aos sábados (46,7%).

Gênero e faixa etária

De um total de 855 homens que morreram no trânsito em 2018 e que foram testados para alcoolemia, 359 apresentaram resultado positivo (42%). Entre as 192 mulheres mortas em acidentes que foram testadas, 42 tinham bebido (21,9%).

Analisando-se as faixas etárias, os mais jovens e os mais velhos representam os menores percentuais entre as pessoas testadas. Das vítimas com até 24 anos, 36,6% estavam alcoolizados no momento do acidente. Acima de 55, esse percentual foi de 26,9%. Mas entre os mortos das demais faixas etárias, foi encontrada presença de álcool em mais de 40% dos casos: 42,7% de 25 a 34 anos, 44% de 35 a 44, e 47,9% entre 45 a 54 anos.

O resultado da pesquisa confirma estudos científicos internacionais e protocolos de segurança nos quais o Governo do Estado se baseou para desenvolver políticas públicas como a Balada Segura e a Viagem Segura, mostrando o acerto na escolha do fator de risco prioritário.

“Agora, analisaremos os dados por região, dias e horários onde se concentram os acidentes envolvendo álcool para melhor direcionarmos nossos esforços”, afirma o diretor-geral do DetranRS, Enio Bacci.

A partir do próximo ano, a Autarquia vai visitar as regiões do RS Seguro com maiores índices de acidentalidade, e também as maiores cidades com maior número de mortes por 100 mil habitantes para propor soluções. O Departamento apresentará dados estatísticos da região, tanto de alcoolemia, como pontos críticos, enfim, um diagnóstico completo para que se possa pensar intervenções eficientes. A Escola Pública de Trânsito também, a partir dos dados estatísticos, irá propor intervenções na área de educação para o trânsito. A ideia é que, com esses esforços de estatística, o DetranRS já leve algumas soluções em termos de educação e engenharia para melhorar a questão da acidentalidade nessas localidades.

As informações são do Detran/RS

 

O post Pesquisa detecta álcool em quase 40% dos mortos no trânsito do RS apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

CFC News destaca: reembolso DPVAT, Deliberação 182/20 e aprovação na prova prática

seg, 13/01/2020 - 17:47

A jornalista Mariana Czerwonka apresenta o CFC News com as principais notícias da semana.

Reembolso DPVAT

A Seguradora Líder, que administra o Seguro Obrigatório  de Danos Pessoais Causados por Veículos (DPVAT) vai começar a devolver na próxima quarta-feira (15) o valor a mais pago pelo benefício.

Transporte de Cargas

Foi publicada hoje a Deliberação nº 182 do CONTRAN que fixa metodologia de aferição de peso de veículos, estabelece percentuais de tolerância e dá outras providências.

Aprovação no RS

Dados do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul apontam que 42% dos candidatos que se submetem a provas práticas para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação do tipo B, para carros, passam na primeira tentativa.  

CNH no mundo

No Japão, o alto número de acidentes de trânsito envolvendo idosos vem causando preocupação.

O post CFC News destaca: reembolso DPVAT, Deliberação 182/20 e aprovação na prova prática apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Multas de trânsito podem virar advertência…saiba quando!

seg, 13/01/2020 - 08:06
Transitar sem usar a luz baixa, de dia, em rodovia é infração média e a multa pode ser convertida em advertência. Foto: Arquivo Tecnodata.

De acordo com a legislação atual, é possível converter multa em advertência por escrito em casos de infrações leves ou médias. A medida vale para os motoristas não reincidentes e deve ser solicitada à autoridade que expediu a autuação a conversão da penalidade em advertência por escrito.

Essa conversão não é automática, deve ser solicitada pelo infrator.

A prerrogativa foi dada no Código de Trânsito Brasileiro, em seu artigo 267, e recebeu regulamentação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Como solicitar

O processo para solicitar a conversão da multa em advertência por escrito funciona assim: pode fazer o pedido quem receber notificação de autuação por cometer infração de trânsito de natureza leve ou média, desde que não seja reincidente na mesma infração nos últimos 12 meses. O prazo para a solicitação é de 30 dias corridos após o recebimento da notificação.

Nesse caso, não caberá recurso à Jari (Junta Administrativa de Recursos de Infrações) da decisão da autoridade quanto a aplicação ou não da penalidade de advertência por escrito.

A aplicação da penalidade de advertência por escrito não implicará em registro de pontuação no prontuário do infrator. Tanto a resolução do Contran como o artigo 267 do CTB facultam à autoridade de trânsito a decisão de transformar ou não a multa em advertência.

Consulte aqui a tabela de infrações de trânsito!

O post Multas de trânsito podem virar advertência…saiba quando! apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

PL determina que as locadoras de carro disponibilizem cadeirinhas

dom, 12/01/2020 - 07:20
A forma mais segura de transportar as crianças é utilizando o sistema de retenção adequado. Foto: Arquivo Agência Brasil

O Projeto de Lei 5809/19 determina que as locadoras de automóveis ofereçam assentos infantis, adequados a cada idade, em quantidade suficiente para atender toda a demanda por esse tipo de equipamento pelos usuários do serviço. O texto altera o Código de Trânsito Brasileiro.

A proposta está em tramitação na Câmara dos Deputados.

“Quando o cidadão viaja e precisa alugar um veículo, nem sempre é possível obter o atendimento, pois muitas vezes as locadoras não dispõem de quantidade suficiente de cadeirinhas”, disse a autora, deputada Edna Henrique (PSDB-PB).

Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Viação e Transportes; de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

As informações são da Agência Câmara

O post PL determina que as locadoras de carro disponibilizem cadeirinhas apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Veja como solicitar o reembolso do DPVAT

sab, 11/01/2020 - 13:18
Foto: Arquivo Tecnodata.

A Seguradora Líder, que administra o Seguro Obrigatório  de Danos Pessoais Causados por Veículos (DPVAT), informa que vai começar a devolver na próxima quarta-feira (15) o valor a mais pago pelo benefício, após o ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal), autorizar a redução na tarifa – seguindo resolução do CNSP (Conselho Nacional de Seguros Privados).

Para solicitar a restituição da diferença, a Seguradora Líder disponibiliza o site https://restituicao.dpvatsegurodotransito.com.br, onde deverá ser informado: CPF ou CNPJ do proprietário, Renavam do veículo, e-mail de contato, telefone de contato, data em que foi realizado o pagamento a maior, valor pago, banco, agência e conta corrente ou conta poupança do proprietário.

Ao enviar a solicitação, o proprietário receberá um número de protocolo para o acompanhamento da restituição, no mesmo site. Após o cadastro, a restituição será processada em até dois dias úteis, dependendo, apenas, da compensação bancária para a sua finalização.

A nova tabela, aprovada pelo CNSP, reduz de R$ 16,20 para R$ 5,23 a tarifa para carros de passeio e de R$ 84,58 para R$ 12,30 o valor referente a motocicletas. Veja os valores que estão valendo:

Automóveis particulares, táxis e carros de aluguel, terão uma redução de 68%, de R$ 16,21 em 2019 para R$ 5,23 em 2020.

Para os ciclomotores, o valor cairá de R$ 19,65 para R$ 5,67, uma queda de 71%.

O valor para caminhões será de R$ 5,78, redução de 65,4%.

Os ônibus, micro-ônibus e lotações com e sem frete terão o seguro reduzido em 72,1% e 67,3%,respectivamente, os valores ficarão em R$ 10,57 e R$ 8,11.

Já o seguro para as motocicletas e motonetas, que concentram a maior arte dos acidentes de trânsito que demandam o acionamento do DPVAT, o valor terá uma redução de 86% caindo de R$ 84,58 para R$ 12,30.

Outras informações

É importante destacar que o site restituicao.dpvatsegurodotransito.com.br receberá somente os pedidos de restituição da diferença de valores pagos referente ao Seguro DPVAT 2020.

Para o proprietário que pagou o Seguro DPVAT 2020 duas vezes, a solicitação da restituição destes valores deve ser feita pelo https://www.seguradoralider.com.br/Contato/Duvidas-Reclamacoes-e-Sugestoes.

Os proprietários de frotas de veículos devem enviar um e-mail para restituicao.dpvat@seguradoralider.com.br.

O post Veja como solicitar o reembolso do DPVAT apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Detrans terão prazo até junho para adequação à CRLV digital

sab, 11/01/2020 - 08:19
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) determinou prazo até 30 de junho deste ano para que os Detrans de todo o país estejam adequados a fornecer aos motoristas o novo formato digital do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), o CRLV-e, conforme prevê a deliberação nº 180/2019 do Contran, publicada no início deste mês, que trata da substituição do documento em papel pelo modelo eletrônico.

Segundo o Contran, o motorista poderá, opcionalmente, utilizar uma via impressa do CRLV-e, que terá a mesma validade do documento digital. A diferença é que o documento será impresso em papel comum, validado por um QR Code específico.

De acordo com o ministro substituto da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, a medida faz parte das diretrizes de transformação digital do governo do presidente Jair Bolsonaro.

“Essa é mais uma iniciativa do governo para simplificar a vida do cidadão, trazendo mais modernidade e agilidade para o dia a dia das pessoas”, disse.

“O CRLV-e somente será expedido após a quitação dos débitos relativos a tributos, encargos e multas de trânsito e ambientais, vinculados ao veículo, bem como o pagamento do Seguro Obrigatório (DPVAT)”.

Para ter acesso ao CRLV digital, o motorista precisa baixar o aplicativo da Carteira Digital de Trânsito (CDT) no celular e cadastrar os dados do veículo na plataforma. Com isso, terá a visualização do documento sem a necessidade de acesso à internet.

O aplicativo, desenvolvido pelo Serpro, em parceria com o Denatran, está disponível gratuitamente nas lojas Google Play e App Store.

As informações são da Agência Brasil

O post Detrans terão prazo até junho para adequação à CRLV digital apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Bolsonaro diz que pretende retirar e desmembrar PL que altera o CTB

sex, 10/01/2020 - 13:08
Foto: José Cruz/Agência Brasil

Em live realizada ontem (09), nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro voltou a falar sobre as mudanças propostas pelo Governo para alterar o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Bolsonaro relatou que está conversando com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para chegar a um consenso sobre as alterações no CTB. De acordo com Bolsonaro, a ideia é retirar o PL 3267/19 que, após várias reuniões e audiências, foi modificado pelo relator Juscelino Filho (DEM-MA) e apresentar projetos individuais para tratar de temas polêmicos como a validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o limite de pontos para fins de suspensão do direito de dirigir.

“A ideia se der tudo certo, retira o projeto que eu apresentei sobre o Código Nacional de Trânsito (sic) e apresenta individualmente um projeto só para tratar da validade da carteira de motorista, de 5 para 10 anos, e ponto final. Daí o Congresso decide se é favorável ou não. O relator, lamentavelmente, ele acha que a validade passa para 10 anos até 45 anos de idade, quem tem 46 já está velho, essa é a opinião do relator que é um deputado lá do Maranhão. E nós achamos que não, estamos botando que a partir dos 65 anos, é de 5 em 5 anos. Se dependesse de mim eu botaria 75 anos. Se o Rodrigo Maia topar e o Davi Alcolumbre topar a gente bota até 75 anos de idade”, afirmou o Presidente.

O presidente Bolsonaro falou também sobre o limite de pontos na CNH que leva à suspensão do direito de dirigir. “Depois a gente apresenta outro projeto para atender aí os profissionais que estão na rua, os motoristas de táxi, do Uber, o da van, do ônibus, do caminhão, passar de 20 para 40 pontos para perder a Carteira, por quê? Pela quantidade de radares, fixos e móveis, que tem no Brasil, o coitado do motorista que rala igual um desgraçado, ele perde rapidamente, ele atinge rapidamente os 20 pontos e muitas vezes ele dirige com a carteira vencida (sic) e está cometendo um outro crime”, disse.

Substitutivo do PL 3267/19

O substitutivo do relator deputado Juscelino Filho (DEM-MA) que não agradou o presidente Bolsonaro, rejeitou as principais – e polêmicas – propostas do governo de alteração do Código de Transito Brasileiro.

O relator ponderou que as propostas foram amplamente debatidas na Câmara e, segundo o deputado, o “clima na comissão era difícil” e não seria possível acatar parte das medidas.

Dentre os pontos polêmicos que não foram satisfatórios no ponto de vista do Governo Federal, estão as alterações mais rigorosas quanto ao transporte incorreto de crianças, a proibição do tráfego de motocicletas, motonetas e ciclomotores pelo corredor e também mantém a proposta de ampliar para 10 anos o prazo para renovação de condutores de até 40 anos de idade, com exceção dos motoristas profissionais das categorias C, D e E, mantendo o prazo de 5 anos para os condutores de 40 a 70 anos e de 3 anos para condutores com idade superior a 70 anos.

Além disso, o novo substitutivo prevê uma escala com três limites pontuação, para que a CNH seja suspensa: com 20 pontos, se o condutor tiver duas ou mais infrações gravíssimas; com 30 pontos, se tiver apenas uma infração gravíssima; ou 40 pontos, se não constar entre as suas infrações nenhuma infração gravíssima.

Tramitação

Todas as observações foram ditas ontem (9) pelo Presidente em Live, nas redes sociais, mas nenhuma ação foi realizada oficialmente.

Por esse motivo, é importante salientar que a discussão sobre esses temas polêmicos ainda continua em 2020 e que nada disso está valendo ainda.

O post Bolsonaro diz que pretende retirar e desmembrar PL que altera o CTB apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Detran/RS alerta para falsos e-mails de multas

sex, 10/01/2020 - 08:10
Foto: Divulgação Detran/RS.

O Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran/RS) registrou recentemente um aumento no número de questionamentos referentes a multas recebidas por e-mail. A Autarquia alerta que se trata de um comunicado falso, já que as notificações de autuação e de imposição da penalidade são sempre enviadas pelos Correios com aviso de recebimento (ou seja, é necessário que alguém assine ao receber).

A nova versão do golpe encaminha um documento contendo um suposto extrato de multas. A mensagem diz:

“Consta em nosso (SIER) Sistema Integrado de Estradas e Rodagens, várias infrações cometidas pelo seu veículo e devido ter ocorrido o retorno da notificação das infrações, estamos enviando as notificações online, pois o mesmo consta registrado no GRAVAME em seu cadastro”.

E finaliza induzindo a pessoa a clicar nos links que contém vírus.

Para conferir a situação do um veículo ou a pontuação de um condutor, o cidadão deve buscar sempre os canais oficiais, como o site do DetranRS (www.detran.rs.gov.br) ou a Central de Serviços (https://servicos.detran.rs.gov.br).

As informações são do Detran/RS

O post Detran/RS alerta para falsos e-mails de multas apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Toffoli derruba a própria liminar e reduz valor do DPVAT

qui, 09/01/2020 - 18:30
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O  presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, voltou atrás e acolheu pedido do governo para extinguir sua própria liminar que suspendeu a resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) que reduziu os valores do seguro obrigatório Dpvat (sigla de Danos Pessoais por Veículos Automotores de Vias Terrestres).

“Exerço o juízo de retratação e reconsidero a decisão liminar anteriormente proferida nesses autos”, escreveu Toffoli na Tutela Provisória na Reclamação 38.736.

O pedido foi feito pela pela Advocacia-Geral da União (AGU), sob o argumento de que “não era razoável a alegação da Seguradora Líder — consórcio de empresas que administra o seguro obrigatório — de que a redução dos valores torna o Dpvat economicamente inviável”.

Segundo nota da AGU, a seguradora que pediu a liminar “omitiu a informação de que há disponível no fundo administrado pelo consórcio, atualmente, o valor total de R$ 8,9 bilhões, razão pela qual, mesmo que o excedente fosse extinto de imediato, ainda haveria recursos suficientes para cobrir as obrigações do Seguro Dpvat”.

A AGU também informou ao presidente do STF que, no orçamento aprovado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) para as despesas do consórcio de seguradoras do Dpvat para o ano de 2020, houve supressão de R$ 20,3 milhões.

A nova decisão do STF tem efeito imediato, e o calendário de pagamento do Dpvat tem início nesta quinta-feira (9).

Com a reconsideração do ministro Toffoli, o preço pago pelo seguro cai. “O valor do seguro passa a ser de R$ 5,21 para carros de passeio e táxis e R$ 12,25 para motos, o que representa uma redução de 68% e 86%, respectivamente, em relação a 2019”, de acordo com a AGU.

As informações são da Agência Brasil

O post Toffoli derruba a própria liminar e reduz valor do DPVAT apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Acompanhe o primeiro Tira-dúvidas de 2020!

qui, 09/01/2020 - 14:32

Os especialistas Celso Mariano e Eliane Pietsak tiram as dúvidas dos internautas sobre o tema trânsito. O programa vai ao ar todas as quintas-feiras, às 14h30, pelo Facebook. Assista!

O post Acompanhe o primeiro Tira-dúvidas de 2020! apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Brasil está na 9º posição entre os países com maior número de mortes no trânsito nas Américas

qui, 09/01/2020 - 08:14

por Paula Batista

Diminuir a velocidade média em 5% ajuda a reduzir em 30% as mortes causadas pelos acidentes de trânsito. Foto: Arquivo Perkons.

O último relatório da Organização Pan-Americana de Saúde (OPS), chamado “Estado de segurança viária na Região das Américas”, de junho de 2019, mostra que o Brasil está na 9ª posição entre os países com maior número de mortes nas Américas, atrás apenas de Santa Lucia, República Dominicana, Venezuela, Belize, Guiana, Paraguai, El Salvador e Equador.

O estudo ressalta que os usuários mais vulneráveis das vias são os pedestres (22%), ciclistas (3%) e motociclistas (23%), que juntos representam quase a metade de todas as mortes causadas pelos acidentes de trânsito. Além disso, os traumas resultantes do trânsito são a segunda causa de mortalidade de jovens entre 15 e 29 anos, mostrando uma relação de causalidade de 15,6 mortes a cada 100.000 mil habitantes.

Para a OPS, as mortes e sequelas causadas pelo trânsito seguem sendo um grave problema de saúde pública para as América, e a tendência atual mostra um aumento da mortalidade, o que impacta, diretamente, no desenvolvimento dos países.

“Sem dúvida, muitas dessas mortes e traumas podem ser evitados com a aplicação de um enfoque integrado que inclui promulgar e fazer cumprir a legislação, aplicar as normas de segurança viária e dos veículos e melhorar o acesso ao atendimento hospitalar”, diz Anselm Hennis, diretor do departamento de Enfermidades não Transmissíveis e Saúde Mental da OPS.

Legislação fraca e excesso de velocidade

O relatório analisa, ainda, a legislação nacional de cada país, avaliando se cumprem o objetivo de ajudar a reduzir cinco fatores de risco, que são peças-chave para conter as mortes e traumas causados pelo trânsito. São eles: excesso de velocidade, condução sob efeito do álcool, não uso de capacete para motociclistas, de cinto de segurança e da cadeirinha para as crianças. Segundo o estudo, as leis brasileiras relacionadas ao trânsito cumprem apenas três dos fatores de risco analisados, entre eles, o uso de equipamentos eletrônicos para controle de velocidade.

Para a entidade, uma legislação baseada em estudos técnicos, juntamente com sua aplicação e cumprimento, e a conscientização da sociedade por meio de campanhas educativas, resultam em medidas eficazes capazes de mudar positivamente o comportamento dos usuários das vias. “Por isso, é importante a cooperação e colaboração entre diferentes setores (incluindo, sem limitações, saúde pública, transporte, polícia, sociedade civil, organizações não governamentais etc.), já que cada setor desempenha um papel importante na conscientização e no cumprimento das leis”, explica Hennis.

Segundo a OPS, um aumento de 1% na velocidade médica produz um aumento de 4% no risco de colisão mortal e um aumento de 3% no risco de colisão grave. Já diminuir a velocidade média em 5% ajuda a reduzir em 30% as mortes causadas pelos sinistros. Ainda, os ocupantes de um automóvel têm um risco 85% mais elevado de morrer em uma colisão quando os carros circulam em uma velocidade de 65km/h ou mais.

“É importante perceber que os equipamentos eletrônicos de controle de velocidade ajudam para que os condutores cumpram a legislação de trânsito. Atualmente, só o Brasil indicou usar dispositivos automatizados. O que vemos nas Américas é que nenhum país se classificou como ‘satisfatório’ em relação à observância das leis relativas aos limites de velocidade”, explicou o diretor.

Há 28 anos a Perkons mantém seu ideal por um transitar mais humano e seguro. Os seus fundadores inventaram a lombada eletrônica, que foi a primeira de muitas soluções criadas para ajudar a sociedade a ter melhor mobilidade e preservado o seu direto de ir e vir, e que foi eleita uma das 101 maiores invenções do século. Os equipamentos da empresa monitoram mais de quatro bilhões de veículos por ano, com um índice de respeitabilidade de 99,93%. “O principal objetivo do nosso trabalho é salvar vidas. Essa é a nossa motivação diária. E como vemos, os países das Américas precisam ainda investir muito, em curto, médio e longo prazos, em soluções para a redução da velocidade, pois isso salta vidas”, diz o especialista em trânsito e diretor da Perkons, Luiz Gustavo Campos.

O post Brasil está na 9º posição entre os países com maior número de mortes no trânsito nas Américas apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Páginas