Notícias

Subscrever feed Notícias
Prevenção, opinião e notícias de Trânsito.
Atualizado: 33 minutos 41 segundos atrás

Dados oficiais mostram queda no número de mortos no trânsito brasileiro em 2018

qui, 09/04/2020 - 08:22
Foto: Pixabay.com

Foram divulgados os dados oficiais mais recentes sobre o número de mortes por acidentes de trânsito no Brasil. De acordo com o Ministério da Saúde, em 2018 morreram 32.655 pessoas em decorrência do trânsito brasileiro. Esse número representa uma queda de aproximadamente 7,7% em relação a 2017, ano em que foram registradas 35.374 mortes.

Essa tendência de queda vem se mostrando contínua. Em 2016 foram 37.345 mortes, 5,5% a mais que em 2017.

Para o especialista Celso Alves Mariano, diretor do Portal do Trânsito, essa queda reflete os resultados das intervenções da Década Mundial de Ações para a Segurança Viária.

“Mesmo pequena, a queda é positiva de alguma forma, mas o país segue longe da meta estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU), que prevê redução de 50% no número de vítimas em 10 anos, contados a partir de 2011”, explica.

Perfil das vítimas

Conforme os dados do Ministério da Saúde, os motociclistas foram os que mais perderam a vida nas vias e rodovias do Brasil. Foram 11.435 mortos nessa condição. Em seguida estão os ocupantes de automóveis (7.282) e os pedestres (6.018). A faixa etária mais vulnerável, segundo os dados, está entre 20 e 29 anos.

Ainda de acordo com as estatísticas, 82% das mortes são de usuários do sexo masculino. “Entre os fatores de risco relacionados ao perfil desse usuário destacam-se a associação de álcool e direção e velocidade excessiva ou inadequada”, diz Mariano.

A região Sudeste é a líder em número de mortes totais no trânsito brasileiro. Já a região Nordeste destaca-se como a de maior número de mortes de motociclistas.“As motocicletas substituíram no Nordeste, muitos tipos de meios de locomoção. Por esse motivo em alguns estados a porcentagem de motocicletas -na frota- é muito maior que a média nacional. Soma-se a esse fato a dificuldade de fiscalização e ainda a resistência de muitos em usar o capacete”, afirma o especialista.

Para Mariano, porém, essas questões não são as mais graves.

“O pior problema é que muitos desses motociclistas pilotam sem nenhuma formação para isso, sem nunca sequer terem entrado num Centro de Formação de Condutores (CFC)”, aponta.

O especialista afirma que a solução para a redução dos acidentes e mortes no trânsito é a educação.

“O trânsito é um assunto muito grave e preocupante em diversos sentidos, pelo modo que nos comportamos como condutores e pedestres, como fazemos as nossas leis e como as fiscalizamos. Tudo isso gera uma dor e um prejuízo, que não é só financeiro, é social. A mudança de comportamento é uma questão que leva tempo e só ocorrerá com educação para o trânsito”, conclui Mariano.

Histórico

De 2011 para 2012, houve um aumento de 3,6% no número de mortes no trânsito brasileiro (43.256 para 44.812). Já em 2013 houve redução de 5,6% (42.266). Em 2014 os dados voltaram a subir, foram 43.780 mortes, ou seja, um aumento de 3,58%.

A partir de 2015 vemos uma queda nos números com 38.651 mortes, em 2016 foram 37.345, 35.374 pessoas em 2017 e, finalmente, 32.655 morreram no trânsito brasileiro em 2018.

O post Dados oficiais mostram queda no número de mortos no trânsito brasileiro em 2018 apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Para o seu CFC: isolamento social, e agora?

qua, 08/04/2020 - 16:00
Foto: Freeimages.com

Muitas notícias, muitas informações e, de repente nos vemos em casa. A vida parece suspensa temporariamente. Nos deparamos com um tempo que nunca tivemos antes. A internet fervilha de ideias e sugestões. Como filtrar tudo isso?

O fato é que estamos em uma situação inédita: muitos de nós nunca viveram situação semelhante e não nos preparamos para algo assim.

Claro que, muitos, de início, planejam várias atividades, há coisas a serem feitas, assistir vídeos, escrever mensagens, assistir séries na TV, mas, chega um determinado momento em que isso já não ocupa o dia e não traz satisfação e a realidade bate à porta: não estamos de férias.

É importante usar bem esse tempo. Devem estar cansados de ler isso na internet. Como aproveitar o tempo? Que tal algumas sugestões?

Fazer uma Pós Graduação na modalidade EAD pode ser uma boa opção.  A grande maioria das instituições contam com muitas alternativas de cursos, mas é importante não se deixar levar pela primeira informação. Selecione com cuidado, procure recomendações de instituições sérias e com cursos reconhecidos pelo MEC.

A grande maioria das Universidades com cursos na modalidade EAD não tem restrição para entrar em um curso em andamento. Os cursos funcionam em módulos, facilitando assim o início a qualquer tempo. Regra geral, os cursos nessa modalidade têm um custo bem menor que os presenciais, sendo essa uma das suas grandes vantagens.

Existe a possibilidade de se fazer até Graduação na modalidade EAD ou semi-presencial, porém, não na área de trânsito. As Universidades estão organizadas para que, nesse período de isolamento possam ser cursadas as disciplinas EAD para que as presenciais sejam feitas no retorno às atividades normais.

Se não gostou das opções acima, é possível fazer cursos de curta duração oferecidos por profissionais da área, alguns gratuitos e outros com valores bastante acessíveis.

Seguem algumas sugestões

Universidades com Cursos na área de Trânsito

UNINTER: https://www.uninter.com/pos-graduacao-ead/

UNICESUMAR: https://www.universoead.com.br/pos-graduacao/pos-graduacao-em-planejamento-e-gestao-de-transito?_ga=2.215861588.256219538.1586290196-604744494.1586290196

Cursos

Fabrício Medeiros – Instrutor de Trânsito

Curso de Sinalização de Trânsito – para profissionais da área

O curso trata dos preceitos de sinalização viária, para os profissionais da área de trânsito, sejam instrutores, agentes, gestores ou demais cargos.

Baseado nos volumes do Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito, outras resoluções avulsas que tratam do tema e no Manual Brasileiro de Fiscalização de Trânsito. Mais detalhes: https://go.hotmart.com/S23140668A

Dr. Julyver Modesto de Araújo – Advogado

Tem cursos gratuitos (até 23 de abril)

  1. Alterações do CTB pela Lei n. 13.281/16;
  2. Análise da Legislação de trânsito na perspectiva constitucional;
  3. Aspectos jurídicos da Educação para o trânsito;
  4. Aspectos legais da Sinalização de trânsito;
  5. Equipamentos obrigatórios e Acessórios veiculares;
  6. Fiscalização de alcoolemia;
  7. Fiscalização de motocicletas, motonetas e ciclomotores;
  8. Fiscalização eletrônica;
  9. Mudanças no processo administrativo de trânsito;
  10. Penalidades e Medidas administrativas.

Escolha o Curso de seu interesse, conforme relação acima, e envie uma mensagem para o WhatsApp (11) 98913-9362 ou e-mail cursos@julyvermodesto.com.br, informando seu endereço eletrônico para liberação do acesso.

E ainda é possível fazer o Curso 22 anos de CTB em 4 horas, com um valor bem acessível, mas este curso é para quem já tem conhecimento na área e do CTB. Inscrição em bit.ly/CTB22em4

Aproveite esse tempo para se preparar mais e melhor. Conhecimento nunca se perde, é patrimônio adquirido.

O post Para o seu CFC: isolamento social, e agora? apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Coronavírus: o prazo para pagar Licenciamento e IPVA também estão suspensos?

qua, 08/04/2020 - 08:14
Foto: Arquivo Portal do Trânsito.

Muitos cidadãos estão em dúvida quanto ao vencimento do Licenciamento e do IPVA nesse momento de isolamento social causado pelo coronavírus. Estas duas situações não foram previstas pelo Contran na Deliberação 185 e por esse motivo cabe aos Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans) definir se o calendário de pagamento será alterado ou não.

Licenciamento

O Licenciamento é um procedimento anual que se obtém, por meio de documento específico (CRLV), licença para um veículo trafegar nas vias públicas.

Em alguns estados como Ceará, Rondônia, Goiás, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul os prazos para pagamento do Licenciamento foram estendidos. Já outros como São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná não divulgaram alterações no calendário de pagamento.

Outros Detrans ampliaram e facilitaram as formas de pagamento, como Espírito Santo e Amazonas. IPVA

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) é um imposto estadual, cobrado anualmente, cuja alíquota varia de estado para estado, de 1% a 6%, de acordo com o valor do veículo.

Em Goiás, por exemplo, o governador Ronaldo Caiado (DEM) determinou que pagamento do IPVA seja feito a partir de agosto. O estado do Amapá também prorrogou o vencimento da cota única ou a 1ª cota do IPVA para 15 de abril. Também adiaram o calendário os estados do Mato Grosso, Minas Gerais e Piauí.

Já Rio Grande do Sul, Espírito Santo, São Paulo e Paraná não tiveram alterações nas datas de pagamento do IPVA.

Vistoria

A situação muda para aqueles veículos que necessitam de vistoria, como é o caso dos movidos a Gás Natural Veicular (GNV), para licenciar o veículo. Nesse caso, sem atendimento nos Detrans, não é possível realizar essa inspeção. As possibilidades que estão sendo estudadas são a ampliação da validade do Certificado de Segurança Veicular, permitindo o Licenciamento do carro a GNV sem a necessidade de emissão de novo laudo ou prorrogação do prazo para esses veículos, especificamente. Nenhuma decisão oficial ainda foi divulgada.

A sugestão do Portal do Trânsito é que o cidadão que tem dúvidas sobre o pagamento do Licenciamento e IPVA entre em contato com o Detran de seu estado, através do site do órgão e dos canais disponibilizados para atendimento online, e peça orientações.

O post Coronavírus: o prazo para pagar Licenciamento e IPVA também estão suspensos? apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Ainda dá tempo de participar do sorteio do “CTB – versão de bolso – 2º edição”. Veja como!

ter, 07/04/2020 - 14:20
Foto: Divulgação.

O Portal do Trânsito irá sortear, no dia 07 de maio de 2020, um exemplar da 2º edição do livro “Código de Trânsito Brasileiro – versão de bolso” com a organização de Julyver Modesto de Araújo, especialista em legislação de trânsito, e publicação da Editora Tecnodata Educacional. Essa é a versão mais atualizada da obra.

O Código de Trânsito Brasileiro atualmente em vigor é o 4º Código de Trânsito do país, tendo sido instituído pela Lei n. 9.503, de 23 de setembro de 1997 e com vigência inicial em 22/01/98. Desde então, já foi alterado por outras trinta e oito leis (sendo a mais recente a de nº 13.886, de 17/10/19), as quais estão todas incorporadas no texto presente nesta obra.

Se você não quer esperar o sorteio, para adquirir o CTB, basta clicar aqui.

Além de estar totalmente atualizado, essa versão contém anotações especiais nas infrações de trânsito (competência para fiscalização, código de enquadramento, necessidade ou não de abordagem, responsabilidade pela infração, valor da multa, total de pontos no prontuário, normas correlatas e Resoluções mais relevantes). O Anexo II é totalmente colorido e contém, ao final, tabela de infrações de trânsito, índice de Resoluções do Contran em vigor e índice alfabético remissivo.

Para participar do sorteio, basta preencher o formulário no link abaixo, e no corpo da mensagem escrever: “Eu quero concorrer ao CTB- versão de bolso”. As inscrições poderão ser feitas até o dia 05 de maio.

Para preencher o fomulário, clique aqui. Lembre-se de preencher os dados corretamente, pois se faltarem informações ou o e-mail de validação voltar, a inscrição não é efetivada.

O sorteio ocorrerá, ao vivo, no dia 07 de maio de 2020, durante o Programa Tira-Dúvidas, no canal do Portal no Facebook.

O post Ainda dá tempo de participar do sorteio do “CTB – versão de bolso – 2º edição”. Veja como! apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Live “Você no Trânsito”: dúvidas sobre Curso de Reciclagem

ter, 07/04/2020 - 12:38

A Live “Você no Trânsito” acontece toda terça-feira, às 12h, com temas específicos para ajudar o cidadão a se “dar bem” no trânsito. O tema de hoje foi o Curso de Reciclagem para Condutores Infratores.

O post Live “Você no Trânsito”: dúvidas sobre Curso de Reciclagem apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

CNH suspensa: saiba em que condições é possível fazer o curso EAD de Reciclagem

ter, 07/04/2020 - 08:15
Foto: Freeimages.com

Devido a pandemia, causada pelo coronavírus, muitos processos administrativos que afetam diretamente os órgãos de trânsito tiveram seus prazos suspensos por tempo indeterminado pela Deliberação 185 do Contran.

Entre eles, estão suspensos os prazos para apresentação de defesa e recursos de processos de Suspensão do Direito de Dirigir e Cassação da CNH. Também estão suspensos os Cursos de Reciclagem para Condutores Infratores presenciais, o curso pode ser realizado, em alguns estados, à distância.

Quem pode realizar o curso EAD nesse momento

Para aproveitar o tempo de isolamento, muitos condutores estão realizando o Curso de Reciclagem EAD e adiantando o processo para voltar a dirigir. Porém, não são todos os que podem fazer o curso nesse momento.

Como os prazos estão suspensos, para realizar o curso EAD é preciso estar com todo o processo finalizado junto ao Detran.

“Se o condutor foi notificado, já apresentou recurso ou esgotou o prazo de defesa e ele teve o processo deferido para a suspensão do direito de dirigir, é possível fazer o curso EAD”, explica Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal.

Além do processo finalizado, o Detran do estado de origem do condutor deve ter liberado o formato EAD aos condutores. Alguns órgãos estaduais oferecem apenas a modalidade presencial como alternativa.

Consultar o processo

Como muitos condutores têm dúvidas sobre a CNH e o processo nos Detrans, a Tecnodata criou, durante esse período de isolamento social, um canal de comunicação para auxiliar o condutor a consultar a sua situação.

Para saber se é possível realizar o curso de Reciclagem EAD, o condutor infrator pode entrar em contato pelo WhatsApp (41) 99258-4436 ou e-mail atendimento@tecnodataeducacional.com.br, a consulta é gratuita.

Curso online

A duração do curso de reciclagem EAD é de 30 horas aula e contempla as disciplinas de Relacionamento Interpessoal, Direção Defensiva, Primeiros Socorros e Legislação de Trânsito, conforme Resolução n.º168/2004 do Contran.

A duração mínima do curso para quem tem a CNH suspensa é de três dias, mas o condutor tem até 45 dias para finalizar o curso. É possível estudar em qualquer hora e lugar e o ambiente online é compatível com qualquer dispositivo: computador, tablet ou celular (smartphone). O curso de reciclagem online fica disponível 24 horas por dia.

 “O Curso de Reciclagem cumpre uma importante missão no resgate da consciência cidadã e do comportamento responsável do condutor. Ainda há um longo caminho a ser percorrido na humanização do trânsito brasileiro, afinal, nossos índices de mortes, acidentes e incidentes no trânsito, apesar de terem melhorado nos últimos anos, ainda são muito elevados, quando comparados aos de países mais desenvolvidos. Compreensivelmente, a Reciclagem é vista com antipatia por boa parte dos condutores que a ela são submetidos, mas hoje ela tem uma inegável importância no processo de amadurecimento dos usuários do trânsito”, conclui César Bruns, diretor presidente da Tecnodata Educacional.

 

 

 

 

O post CNH suspensa: saiba em que condições é possível fazer o curso EAD de Reciclagem apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

CFC News destaca: paralisação dos Detrans, pagamento Licenciamento/IPVA e recado aos CFCs

seg, 06/04/2020 - 16:12

A jornalista Mariana Czerwonka apresenta o CFC News com as principais notícias da semana.

Serviços dos Detrans

O atendimento presencial e os serviços dos Detrans no Brasil permanecem suspensos devido a pandemia causada pelo coronavírus.

Licenciamento e IPVA

Muitos cidadãos estão em dúvida quanto ao vencimento do licenciamento e do IPVA nesse momento de isolamento social causado pelo coronavírus.

CNH Digital

A novidade dessa semana é que todas as unidades da federação já aderiram à Carteira Nacional de Habilitação (CNH) digital, que pode ser baixada por meio de um aplicativo de smartphone.

Para os CFCs

E para finalizar um recado para os CFCs. A permanência da suspensão das aulas teóricas e práticas em todo o País vêm causando muita insegurança aos instrutores de trânsito e aos proprietários de CFCs.

O post CFC News destaca: paralisação dos Detrans, pagamento Licenciamento/IPVA e recado aos CFCs apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Questão de prova: onde não existir sinalização, qual a velocidade mínima permitida para uma via de trânsito rápido?

seg, 06/04/2020 - 08:15
Foto: Freeimages.com

Continuamente recebemos sugestões de matérias sobre questões que caem nas provas dos Detrans como você pode ver aqui. Por esse motivo, hoje vamos abordar um assunto que cai bastante nas avaliações teóricas que é sobre a velocidade mínima dos veículos.

A pergunta é a seguinte: Onde não existir sinalização regulamentadora, qual a velocidade mínima permitida para uma via de trânsito rápido?

A questão já pode criar uma certa confusão, pois os alunos estão esperando perguntas sobre a velocidade máxima da via e não a mínima. Então, além de ler com atenção o enunciado é preciso saber mais de uma definição.

Em primeiro lugar o candidato deve saber o conceito de velocidade mínima, que está definido no Código de Trânsito Brasileiro (CTB):

“Art. 62. A velocidade mínima não poderá ser inferior à metade da velocidade máxima estabelecida, respeitadas as condições operacionais de trânsito e da via”.

Sabendo disso, já temos ciência de que a velocidade mínima da via não pode ser menos do que a metade do limite máximo de velocidade.

Também é preciso saber o conceito de via de trânsito rápido, que está no Anexo I do CTB:

“VIA DE TRÂNSITO RÁPIDO – aquela caracterizada por acessos especiais com trânsito livre, sem interseções em nível, sem acessibilidade direta aos lotes lindeiros e sem travessia de pedestres em nível”.

O segundo passo é definir a velocidade máxima na via. A questão não estabelece esse limite, mas dá uma dica aos futuros condutores. O enunciado cita o tipo de via (de trânsito rápido), dessa forma, o candidato deve lembrar das aulas teóricas em que foram apresentadas as definições de vias e seus limites de velocidade quando não há sinalização regulamentadora.

Recordando disso, o aluno se dará conta que a velocidade máxima definida em uma via de trânsito rápido, quando não há placa regulamentando o limite, é de 80 km/h.

Descoberto isso, vamos ao terceiro passo, onde chegaremos a resposta da questão. Se o limite da via é de 80 km/h, a velocidade mínima permitida na via seria a metade de 80, que fazendo a conta simples, seria de 40 km/h. Resposta

Então, a resposta para essa questão é a seguinte:

“Onde não existir sinalização regulamentadora, qual a velocidade mínima permitida para uma via de trânsito rápido?

A velocidade mínima permitida em uma via de trânsito rápido é de 40 km/h.”

Você tem uma sugestão de pergunta que cai na prova do Detran? Envie através do e-mail contato@portaldotransito.com.br que publicaremos aqui no Portal!

O post Questão de prova: onde não existir sinalização, qual a velocidade mínima permitida para uma via de trânsito rápido? apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

DNIT promove campanha de educação no trânsito para motociclista

dom, 05/04/2020 - 08:35
Foto: Divulgação DNIT

As motocicletas são hoje a forma mais rápida e mais econômica de locomoção nas grandes cidades. A frota de motos no Brasil, em 2019, passou dos 27 milhões, segundo o Departamento Nacional de Trânsito – Denatran. O número por habitantes no país é de 1 para 8. São motociclistas, mototaxis, entregadores de delivery e officeboys, que circulam diariamente pelos grandes centros e no interior do país.

Para transitar nas vias, os motociclistas devem utilizar capacete de segurança, com viseira ou óculos protetores, segurar o guidom da moto com as duas mãos e usar vestuário de proteção, de acordo com as especificações do Contran.

O Brasil possui hoje, de acordo com dados do Denatran, mais de 33 milhões de condutores habilitados nas categorias A (apenas moto) e AB, AC, AD e AE. Desse número, a maior concentração de habilitados está na região Sudeste e a menor na região Norte.

O número de habilitados, infelizmente, não corresponde à quantidade de pessoas que dirigem motos diariamente. A frota no norte e nordeste do país é maior do que o número de habilitados.

De acordo com o Art. 309 do Código Brasileiro de Trânsito, dirigir veículo automotor, em via pública, sem a devida Permissão para Dirigir ou Habilitação ou, ainda, se cassado o direito de dirigir é crime. As penas podem variar de acordo com a gravidade como detenção, de seis meses a um ano, ou multa.

Formação do condutor

Assim como determina o Código de Trânsito Brasileiro – CTB, para habilitar-se o candidato deve ser maior de 18 anos e responder pelos seus atos na forma da Lei, saber ler e escrever, bem como possuir documento de identidade e CPF, este último passou a ser exigido por meio da Resolução 168/2004 do Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN.

Preenchidos tais requisitos, o candidato cumprirá algumas etapas, a primeira delas é a abertura do processo junto ao DETRAN do estado que reside. Em seguida, fazer os exames médico e psicológico. A terceira etapa é uma autoescola, onde serão realizadas as aulas teóricas e as aulas práticas de direção.

O DETRAN avalia o candidato duas vezes. A primeira ao término do curso teórico e a outra logo após as aulas práticas. Com o processo finalizado, sendo o candidato considerado apto em todas as etapas, ele receberá a Permissão Para Dirigir, cuja validade é de 1 ano e somente a partir daí é que a pessoa estará legalmente habilitada e apta a conduzir em via pública veículos automotores da categoria para qual se habilitou.

Morte nas estradas

A motocicleta é o meio de transporte que mais mata no Brasil. Em 2019, segundo dados da Polícia Rodoviária Federal – PRF, dos mais de 331 mil acidentes, 64.603 envolveram motociclistas. Pelo menos 15.368 pessoas ficaram gravemente feridas e 3.711 vieram a óbito no último ano somente em rodovias federais.

Esse número pode ser reduzido com atitudes simples, como ser condutor habilitado, respeitar os limites de velocidade, não transitar no corredor, usar os equipamentos de segurança, realizar a manutenção da moto, se for pilotar, não beba, nem use o celular. Pequenas atitudes salvam vidas, faça a sua parte e chegue ao seu destino em segurança.

As informações são da Coordenação de Comunicação Social – DNIT

O post DNIT promove campanha de educação no trânsito para motociclista apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Itens importantes para checar na hora da revisão da motocicleta

sab, 04/04/2020 - 13:27

Majô Gonçalves-

Assessora de Imprensa

Foto: Freeimages.com

Para garantir uma pilotagem com segurança e assegurar que a motocicleta apresente o máximo de performance possível, é fundamental que o motociclista mantenha a manutenção em dia. “A recomendação é ficar atento às revisões periódicas e analisar todos os sistemas da motocicleta desde motor e câmbio até os pneus”, afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata.

Na parte de motor e câmbio, Silva alerta para a limpeza, pois facilita observar vazamentos de óleo ou combustível.

“Mas, cuidado para não danificar componentes, é possível fazer a higienização sem água, utilizando produtos específicos em spray ou se preferir, utilizando apenas água e sabão neutro”, adverte.

Devem ser verificados as condições do cabo, cachimbo, vela e filtros, bem como nível e prazo do óleo lubrificante.

No sistema de suspensão é preciso procurar indícios de desgaste nos amortecedores traseiros, como vazamentos ou buchas danificadas, bem como ruídos ou folgas. O nível de fluido hidráulico das bengalas e os retentores devem ser analisados.

Nas motocicletas com conjunto de pinhão, coroa e corrente, é necessário ter atenção com limpeza e lubrificação além de conferir e ajustar a tensão da corrente. Já nas motocicletas com eixo cardan, além de observar o nível do lubrificante, deve-se verificar se há vazamentos.

Os cabos de acelerador, embreagem, freios e do velocímetro também devem ser checados para identificar se há algum desgaste. Na dúvida, troque preventivamente.

No sistema de frenagem a disco, a recomendação é avaliar as pastilhas e discos quanto à espessura mínima para o correto funcionamento, enquanto na moto com tambor, é aconselhável revisões periódicas, verificando sempre a alavanca de acionamento quanto à regulagem e a cada 15 mil quilômetros ou anualmente, é aconselhável uma inspeção interna dos componentes além do desgaste de lonas que também devem ser analisados. Caso o acionamento seja hidráulico, confere-se o nível do fluído e se há vazamentos.

A parte de iluminação e bateria não devem ser esquecidas na hora da revisão, bem como o desgaste das bandas de rodagem dos pneus e outros defeitos.

O post Itens importantes para checar na hora da revisão da motocicleta apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Relatório aponta que microveículos são mais seguros para os pedestres

sab, 04/04/2020 - 08:11

Assessoria de Imprensa-

por Paula Batista


Estudo registra que esses novos meios de transporte são os mais seguros, no dia a dia, também para os pedestres. Foto: EBC

Um recente relatório do Internacional Transport Forum (ITF),  o “Safe Micromobility” (Mobilidade Segura),  mostra que os meios de transporte denominados microveículos – patinetes e bicicletas elétricas, entre outros – são os mais seguros, inclusive para os pedestres. Além disso, a entidade considera uma série de ações para tornar o tráfego urbano com micromobilidade seguro, abrangendo layout de ruas, educação do usuário e aplicação de regras, como as que estão sendo propostas neste momento para o Brasil.

Um Projeto de Lei (PL 4.135/2019) está em última fase de aprovação no Senado Federal e quer regulamentar o uso de patinetes e bicicletas elétricas para deslocamento dentro das cidades, além de também definir normas para os serviços de compartilhamento de bicicletas e outros veículos de mobilidade individual. Aprovado no mês de fevereiro na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo, o PL agora aguarda a decisão final da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

O foco principal da proposta é a segurança, tanto de pedestres quanto de condutores, por isso, o texto do novo regramento traz uma limitação de velocidade de 6km/h aos veículos individuais autopropelidos, como os patinetes, em áreas de circulação de pedestres, e de no máximo 20km/h em ciclovias e ciclofaixas, seguindo as determinações do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

“Recentemente, a população de mais de uma dezena de cidades brasileiras passou a dispor de patinetes elétricos, e com isso vimos um crescente número de acidentes envolvendo seus usuários, bem como conflitos no compartilhamento das calçadas com os pedestres. E já há registros de atropelamento de usuários que trafegavam nas faixas de rolamento das vias”, comenta o senador Acir Gurgacz, autor da proposta e presidente da Subcomissão Temporária sobre Mobilidade Urbana do Senado Federal. Ele propõe equiparar condutores de patinetes e de veículos de mobilidade individual autopropelidos aos ciclistas, tanto em direitos quanto em obrigações.

Entre as infrações que estão em aprovação na casa legislativa está transitar sem sinalização noturna (ou com ela desligada) e sem capacete de ciclista, no caso das bicicletas elétricas. Quem desrespeitar as regras será punido com multa nos termos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A circulação nos passeios (ruas e vias) poderá ser autorizada e devidamente sinalizada pelo órgão ou entidade com circunscrição sobre a via.

Os condutores também poderão ser multados por transportar passageiro ou carga que comprometa sua segurança; por circular em vias com velocidade máxima superior a 40 km/h, nas vias providas de ciclofaixas, ciclovias ou acostamento, e em passeios onde não seja permitida a sua circulação. A condução de forma agressiva também é considerada infração.

“A regulamentação deverá ter como premissas a priorização da segurança e da fluidez do trânsito de pedestres, a garantia das condições de segurança dos usuários, a exigência de contratação de seguro de acidentes pessoais e de responsabilidade civil e a efetiva cobrança de tributos”, destaca o senador.

Relatório do Fórum Internacional de Transportes analisa a Micromobilidade Segura

O Relatório Safe Micromobility examina a segurança desses novos meios de transporte como e-scooters, patinetes, bicicletas elétricas, entre outros, próprios ou compartilhados. Segundo a publicação, em um ambiente de transporte urbano em rápida evolução, a micromobilidade está mudando a maneira como as pessoas se movem diariamente. Isso traz novos e urgentes desafios para os formuladores de políticas públicas nacionais e autoridades municipais.

O estudo registra que esses  microveículos, até o momento, nas regiões estudadas (Europa, Estados Unidos e México, Ásia e na América Latina [Colômbia]), são os mais seguros no dia a dia também para os pedestres. Segundo a Organização, os pedestres representam menos de uma em cada dez mortes em acidentes envolvendo microveículos. A pesquisa constatou ainda que apenas duas mortes ocorreram no mundo até outubro de 2019; ambos os acidentes envolveram microveículos de propriedade privada e nenhum deles estava equipado com limitador de velocidade.

Para o especialista em trânsito e diretor da Perkons, Luiz Gustavo Campos, mesmo com o argumento, até o momento, sobre a falta de regras de trânsito específicas para a utilização de microveículos, todos, condutores e pedestres, precisam seguir as orientações do Código de Trânsito Brasileiro.

“O CTB é claro e estabelece que os veículos de maior porte sejam responsáveis pela segurança dos menores; que os motorizados se responsabilizem pelos não motorizados e que todos zelem pelos pedestres. Assim, é importante acompanhar a evolução dos meios de transporte e das tecnologias, mas ter sempre como meta a educação para o trânsito e a busca da segurança de todos, prioritariamente dos pedestres”, comenta.

O post Relatório aponta que microveículos são mais seguros para os pedestres apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Estudo mostra a queda nos índices do trânsito brasileiro causada pelo isolamento social

sex, 03/04/2020 - 14:22
Em São Paulo a queda de tráfego de veículos particulares foi de 88,6%. Foto: Divulgação Cetesb.

O tráfego nas grandes cidades diminuiu? O número de acidentes de trânsito também? E os índices de congestionamento? A resposta para essas perguntas estão em estudos divulgados durante essa semana no Brasil.

Em um deles, realizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com o apoio do Waze, é possível perceber uma queda de mais de 70% no tráfego das grandes cidades brasileiras. Em umas mais, em outras menos. O estudo comparou a primeira e a última semana de março.

Conforme o estudo, esse índice está diretamente ligado às estratégias de confinamento determinadas por prefeituras e governos de estado e também a segmentação de renda, sendo que uma parcela considerável da população, com menor chance de realizar home office, ainda tenha que se sujeitar a estar nas ruas para preservar seu trabalho.

A cidade que mais reduziu o seu tráfego, dentre as pesquisadas no Brasil, foi Florianópolis, capital de Santa Catarina, com 94,5% de redução. Em seguida Rio de Janeiro (90,1%) e Brasília (89,9%).

Mesmo com redução significativa, as capitais do Nordeste apresentaram menor queda. São elas Fortaleza (75,6%), Natal (75,6%) e São Luís (75,4%).

Já sobre a diminuição no uso do transporte público, Fortaleza aparece em quarto lugar dentre as capitais pesquisadas da América Latina e em primeiro no Brasil. A redução foi de 70%.

A conclusão do estudo é que, de fato, os cidadãos latino-americanos estão ficando em casa, mas se percebe que alguns o estão fazendo mais do que outros e isso pode refletir diretamente nos números da pandemia.

Queda no número de acidentes

Com a consequente redução do número de carros, ônibus, pedestres, motociclistas, ciclistas, etc nas ruas, o número de acidentes também cai exponencialmente.

Em São Paulo, por exemplo, onde a queda de tráfego de veículos particulares foi de 88,6% e diminuição no uso do transporte público foi de 64%, o número de acidentes fatais caiu 28% em relação a janeiro e 9% em relação a fevereiro, segundo levantamento parcial da Central de Operações da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

Porto Alegre também registrou queda no número de acidentes. De acordo com dados divulgados pela Prefeitura, entre os dias 7 e 13 de março foram registrados 274 acidentes de trânsito na Capital. Já entre os dias 21 a 27 de março, o número foi reduzido a 52 colisões, representando uma queda de 81%. Apesar disso, a diminuição de acidentes com pessoas feridas foi inferior, ficando em 62,6%. A redução de tráfego em Porto Alegre, segundo o estudo do BID, foi de 85,6%.

Essa tendência, da mesma forma, aparece em Curitiba. De acordo com o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran), nos últimos dias de março a queda foi de 46% dos acidentes e de 40% dos feridos. O comparativo foi feito de semana a semana, entre os dias 11 e 20 de março e, depois, no período entre os dias 21 e 30 de março. A diminuição nos índices foi registrada nessas últimas datas. Na capital paranaense a redução de tráfego foi de 86,8%.

O que dizem os especialistas

Eliane Pietsak, pedagoga com especialização em trânsito, diz que como efeito secundário, temos também o meio ambiente agradecendo a redução de circulação de veículos. Para a especialista, a redução no índice de acidentes é sempre bem vinda, ainda que o fosse “zero” a quantidade ideal de acidentes, porém o momento não é para comemoração.

“Tenho sentimentos contraditórios porque, com a divulgação dessas notícias, muitas pessoas tendem a se descuidar por achar que está mais seguro andar pela cidade, ficam mais desatentos. Por outro lado, temos os que se aproveitam disso para aumentar a velocidade, abusar mais. Esses tendem a imaginar, inclusive, que a fiscalização está menor e por este motivo, cometer todo tipo de infração não traz problema algum”, explica. 

A especialista diz ainda que devido a pandemia causada pelo coronavírus, o que não precisamos agora é que os leitos dos SUS sejam ocupados por acidentados de trânsito.

“Essa queda é devido a um único fator, a diminuição do número de veículos e também de pessoas nas vias da cidade. A tendência é tudo voltar ao normal assim que o isolamento social diminuir”, finaliza.

 

O post Estudo mostra a queda nos índices do trânsito brasileiro causada pelo isolamento social apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

PL autoriza uso de dinheiro de multas de trânsito no enfrentamento do coronavírus

sex, 03/04/2020 - 08:16
Foto: Arquivo Tecnodata.

O Projeto de Lei 915/20 autoriza a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios a utilizar os recursos advindos de multas de trânsito e de compensação ambiental para o enfrentamento da emergência pública decorrente do coronavírus.

Em análise na Câmara dos Deputados, o texto deixa claro que a autorização é temporária e aplica-se apenas enquanto perdurar a emergência de saúde pública.

Hoje o Código de Trânsito prevê a aplicação da receita arrecadada com a cobrança das multas exclusivamente em sinalização, engenharia de tráfego, de campo, policiamento, fiscalização e educação de trânsito.

Já a Lei 9985/00, que institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, prevê que os recursos da compensação ambiental sejam destinados à implantação e manutenção de unidade de conservação.

A compensação ambiental é cobrada nos casos de licenciamento de empreendimentos de significativo impacto ambiental, sendo equivalente a até 0,5% dos custos totais previstos para a implantação do empreendimento.

“Sabemos da importância destes fundos e suas finalidades, mas a pandemia, que já começa a dar sinais críticos em nosso País, evoca nosso senso de urgência”, diz o autor da proposta, o deputado Fernando Monteiro (PP-PE). “É preciso analisar cada possibilidade de aporte de recursos na saúde por período determinado”, opinou.

As informações são da Agência Câmara de Notícias

O post PL autoriza uso de dinheiro de multas de trânsito no enfrentamento do coronavírus apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Perdeu o Tira-dúvidas de hoje? Assista agora

qui, 02/04/2020 - 16:08

Todas as quintas-feiras, às 14h30, o Portal do Trânsito realiza uma transmissão ao vivo, pelo Facebook, para responder as dúvidas dos internautas. Assista aqui e participe!

O post Perdeu o Tira-dúvidas de hoje? Assista agora apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Ações do Maio Amarelo 2020 são adiadas para setembro

qui, 02/04/2020 - 08:21
Foto: Divulgação Maio Amarelo.

No intuito de atender as orientações do Ministério da Saúde referente ao COVID19, a coordenação do Movimento Maio Amarelo, juntamente com a direção do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), decidiram a transferência das ações presenciais (ou de campo) de maio para setembro de 2020.

O Movimento Maio Amarelo sempre teve como principal característica a mobilização da sociedade, sendo que as vias e rodovias de todo o país têm sido o grande “palco” das ações desenvolvidas pela sociedade durante o mês de maio. Vale destacar ainda que um dos principais aliados do movimento nos últimos anos, a mídia, atualmente está totalmente focada na cobertura relevante da pandemia do coronavírus.

De acordo com os organizadores, realizar o Maio Amarelo com a mobilização que tradicionalmente ocorre (caminhadas/blitz/palestras/ seminários/etc) será inconcebível nesse momento, uma vez que o chamamento nacional é para que a sociedade faça o isolamento social, visando a redução do contágio.

A Coordenação do Movimento diz ainda que está desenvolvendo alguns materiais para o mês de maio, porém 100% focado em mídias sociais e produzidos totalmente em home-office.

“Estamos certos de que em setembro, com o momento atual já administrado e com a experiência adquirida com esta mobilização social, estaremos ainda mais fortalecidos para, junto com as entidades do SNT (Sistema Nacional de Trânsito), levarmos o movimento às ruas. Certos de termos tomado a melhor decisão, contamos com o apoio de todos para em setembro/2020 fazermos juntos um grande “MAIO AMARELO”, explicam os organizadores.

O tema do Movimento para esse ano já está definido: “PERCEBA O RISCO. PROTEJA A VIDA”.

Apoio do Portal do Trânsito

Desde o início, o Portal do Trânsito aderiu ao movimento apoiando e divulgando a ideia e seus objetivos principais. Esse ano não poderia ser diferente.

“Todas as ações no sentido de buscar a redução dos índices de mortalidade do trânsito brasileiro, como é o Maio Amarelo, são bem vindas e merecem o apoio de toda a sociedade”, explica Celso Alves Mariano, diretor do Portal do Trânsito.

 

O post Ações do Maio Amarelo 2020 são adiadas para setembro apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

LANÇAMENTO: Kit Multimídia de Legislação de Trânsito

qua, 01/04/2020 - 13:15

Trânsito é um desses assuntos fáceis de serem mal compreendidos e, por isso, mal tratados. Naturalmente multidisciplinar ele demanda, por parte de seus operadores, muito estudo e dedicação. Áreas distintas do conhecimento como legislação, engenharia, biologia e psicologia, dentre outras, compõem o diversificado conjunto de conhecimentos necessários para uma abordagem minimamente abrangente que permita planejamento, estruturação, ações e gerenciamento satisfatórios para uma mobilidade funcional e segura.

Dentre todas estas áreas, destaca-se o campo das leis de forma contundente, pois é nas regras de uso e no correspondente sistema de punições para quem não as cumpre que residem os protocolos de uso de todo sistema trânsito. E é justamente para colocar luzes nesta área tão importante que a maior editora da área, a Tecnodata Educacional, uniu-se com o aclamado consultor e professor de Legislação de Trânsito Julyver Modesto de Araújo, num esforço de produção para gerar um material didático multi-formatos capaz de atender os diferentes profissionais que atuam nesta área.

PÚBLICO-ALVO

O público-alvo abrange desde funcionários administrativos dos órgãos do Sistema Nacional de Trânsito, até seus técnicos e agentes da autoridade de trânsito, mas também  instrutores, diretores Geral e de Ensino dos Centros de Formação de Condutores, estudantes da área de direito, alunos dos mais diversos cursos de trânsito, além de advogados e despachantes especializados na área.

“Sabemos que o tema tem despertado interesse de outros públicos, como jornalistas, economistas, juristas e sociólogos, além de professores e estudiosos das mais diferentes áreas, principalmente a partir da atenção que a Organização Mundial de Saúde tem dado para os impactos da violência do trânsito nos últimos anos”, afirma Celso Alves Mariano, Diretor de Conteúdo da Tecnodata Educacional.

Conhecer o universo da legislação de trânsito em um país como o Brasil, não basta. É preciso compreender nossa cultura e tradição jurídica, as idiossincrasias do brasileiro e o momento histórico que vivemos. Foi exatamente nesta perspectiva que o CTB em Vídeo e Áudio, componente do KIT MULTIMÍDIA DE LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO foi desenvolvido. O Kit inclui também o consagrado livro CTB de Bolso, de autoria de Julyver Modesto.

“Para quem trabalha com trânsito, esta é uma obra imprescindível. Trabalho há muitos anos nesta área e posso dizer que conheço bem este público. Conheço bem as necessidades e  dificuldades que eles enfrentam no dia a dia. No CTB em Vídeo e Áudio, o principal produto do Kit, eu comento artigo por artigo o significado e o sentido do nosso código de trânsito. Com este material, que está em franca produção, eu e a Tecnodata Educacional demos início a um projeto que vai ser um marco na trajetória profissional destas pessoas”, comenta Julyver Modesto.

O PRODUTO

O KIT MULTIMÍDIA DE LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO será disponibilizado em uma plataforma digital, com o dinamismo e a flexibilidade que a moderna tecnologia educacional pode oferecer. Além das videoaulas sobre todo Código de Trânsito Brasileiro, com seus correspondentes arquivos em áudio, serão disponibilizadas a transcrição dos famosos episódios do Podcast do Julyver Modesto, no ar desde o início de 2019. Os arquivos em áudio do Podcast também estará disponível.

Instrutores, estudantes e profissionais da área de trânsito e de assuntos correlatos terão em mãos uma importantíssima ferramenta para seus estudos e pesquisa.

Veja no vídeo deste artigo um trecho do CTB em Vídeo.

QUEM É QUEM

JULYVER MODESTO DE ARAUJO é Consultor e Professor de Legislação de trânsito, com experiência profissional na área de policiamento de trânsito urbano de 1996 a 2019, atualmente Major da Reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo; Conselheiro do CETRAN/SP desde 2003; Membro da Câmara Temática de Esforço Legal do Conselho Nacional de Trânsito (2019/2021); Mestre em Direito do Estado, pela Pontifícia Universidade Católica – PUC/SP, e em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública, pelo Centro de Altos Estudos de Segurança da PMESP; Especialista em Direito Público pela Escola Superior do Ministério Público de SP; Coordenador de Cursos, Palestrante e Autor de livros e artigos sobre trânsito.

A TECNODATA EDUCACIONAL é uma empresa de educação focada em temas ligados a prevenção, como mobilidade, segurança no trabalho, promoção à saúde e meio ambiente. Desde 1996, mais de 30 milhões de brasileiros foram alcançados por seus programas e material didáticos, com destaque para a formação de condutores e a educação de trânsito para jovens e crianças. A Tecnodata é a maior editora especializada metodologia e materiais didáticos de trânsito do país.

VENDAS

Na próxima semana a venda do KIT MULTIMÍDIA DE LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO e de seus itens – como o CTB em Vídeo – será iniciada. O modelo de cobrança escolhido foi o de assinatura, por ser mais adequado para um produto de constante atualização.

Acompanhe aqui no Portal do Trânsito a publicação do link para aquisição do produto.

Haverá uma condição especial para os primeiros clientes.

Faça sua reserva, inscrevendo-se! CLIQUE AQUI

O post LANÇAMENTO: Kit Multimídia de Legislação de Trânsito apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Deputado e jurista Luiz Flávio Gomes morre em São Paulo

qua, 01/04/2020 - 12:26
Luiz Flávio Gomes era reconhecido por seus conhecimentos na área jurídica. Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados.

Morreu hoje (01) em São Paulo, o jurista e deputado licenciado Luiz Flávio Gomes (PSB-SP). Ele sofria de leucemia, doença diagnosticada no ano passado. O parlamentar chegou a se submeter a um transplante de medula no início deste ano.

Luiz Flávio Gomes exercia o primeiro mandato como deputado federal. Ele era doutor em Direito pela Universidade Complutense de Madri, com diversas obras jurídicas publicadas. Foi professor, delegado, promotor e juiz.

Por algum tempo, o jurista teve uma coluna no Portal do Trânsito onde abordava assuntos relacionados a segurança de trânsito, dados e análises científicas, contribuindo assim para a elaboração de políticas públicas na área do trânsito.

“O trânsito brasileiro tem muito o que agradecer a Luiz Flávio Gomes. Uma imensa perda para a área do Direito e para todos nós que admirávamos o trabalho dele. Um dia muito triste”, afirma Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal.

Instituto Avante Brasil

O jurista também presidiu o Instituto Avante Brasil uma entidade sem fins lucrativos que tem por escopo facilitar o acesso às informações e pesquisas sobre os mais diversos temas acadêmicos e científicos. O Instituto nasceu para realizar pesquisas, criar fontes de dados, acompanhar e avaliar as diversas políticas adotadas e implementadas pelas autoridades e, sobretudo, contribuir para a elaboração de políticas públicas nas suas áreas de atuação

 

O post Deputado e jurista Luiz Flávio Gomes morre em São Paulo apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Abramet e Abrava lançam guia com recomendações específicas aos caminhoneiros

qua, 01/04/2020 - 08:07
Os caminhoneiros são extremamente importantes para o País, pois são responsáveis por levar alimentos e diversos outros suprimentos a mercados, farmácias e outros estabelecimentos. Foto: Pixabay.com

Para orientar os caminhoneiros sobre as maneiras mais seguras e eficazes de prevenção ao novo coronavirus (COVID-19), a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) e a Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava) prepararam um guia com informações sobre a doença. O documento apresenta de forma didática as formas de higienização na boleia (cabine do veículo), no trato com os demais caminhoneiros, nos ambientes de alimentação e descanso, além de indicar os sintomas e onde procurar ajuda em caso de infecção.

CLIQUE AQUI E CONFIRA O FOLDER NA ÍNTEGRA

Conforme explica o presidente da Abramet, Antonio Meira Junior, os caminhoneiros são extremamente importantes para o País, pois são responsáveis por levar alimentos e diversos outros suprimentos a mercados, farmácias e outros estabelecimentos.

“Como os caminhoneiros são profissionais que não podem parar, temos que orientá-los da melhor forma possível sobre como se proteger da COVID-19. Sabemos que os caminhoneiros sempre estão na ativa e em contato com muitas pessoas. Por isso, é importante passarmos algumas informações básicas para que a chance de contágio deles seja reduzida”, declarou.

O presidente da Abrava, Wallace Landin Chorão, também fez questão de destacar a pertinência do documento para os motoristas. “Essa parceria é essencial e traz informações que a categoria realmente precisa nesse momento. O foco da Abrava é proteger os caminhoneiros em todos os sentidos e esse trabalho certamente será muito válido para ajudar nossos colegas na prevenção à COVID-19”, disse.

Informações 

O folder divide as dicas de prevenção e higiene em tópicos. O texto reforça a importância de lavar as mãos frequentemente com água e sabão e, na falta desses itens, usar o álcool gel; da limpeza e desinfecção constante de objetos e superfícies tocados com frequência; de manter a cabine do caminhão bem ventilada; de não compartilhar copos, talheres toalhas ou utensílios; de não utilizar bebedouro onde deve-se colocar a boca para ingerir água; entre outros.

O texto relembra ainda os principais sintomas conhecidos da COVID-19, como febre, tosse forte e falta de ar e o que deve ser feito caso o profissional esteja com eles. Entre as medidas indicadas em caso de suspeita da COVID-19 estão a comunicação imediata a empresa e/ou a família sobre a situação; não se automedicar; buscar auxílio médico no hospital ou posto de saúde mais próximos; evitar contato próximo com colegas ou outras pessoas; procurar ficar isolado, reduzir o contato com outras pessoas, até o atendimento médico; e seguir as recomendações que o médico passar ao pé da letra.

“Todos sabemos que esse é um momento delicado e complicado, tanto para a saúde nacional quanto internacional, mas precisamos que todos os setores da sociedade estejam unidos no combate a esse vírus. Juntos, temos certeza que vamos conseguir passar por essa crise e voltar às nossas rotinas com saúde e paz”, conclui Antônio Meira.

 As informações são da Abramet

O post Abramet e Abrava lançam guia com recomendações específicas aos caminhoneiros apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Cinco motivos para respeitar os limites de velocidade das vias, além da multa

ter, 31/03/2020 - 13:15
Foto: freeimages.com

Respeitar o limite de velocidade das vias ainda é um grande desafio para os condutores brasileiros. Entre 2010 e 2019, as infrações relacionadas ao excesso de velocidade lideraram o ranking das mais cometidas nas vias do País.

O Relatório da Situação Global da OMS sobre segurança no trânsito de 2018 destacou que uma das formas de reduzir acidentes causados por excesso de velocidade é o controle por fiscalização eletrônica, além da diminuição dos limites de velocidade nas cidades.

Para o especialista em trânsito e diretor do Portal, Celso Alves Mariano, essas medidas são favoráveis à coletividade.

“Nas cidades compartilhamos o espaço com muitos outros condutores e pedestres ao mesmo tempo. Nestas circunstâncias, não tem mágica: ou se limita a velocidade, ou o trânsito ficará sujeito a acidentes e congestionamentos. Não há como melhorar o trânsito sem pensar no coletivo”, diz.

Transitar em qualquer via em velocidade até 20% superior à máxima é considerada uma infração média, com multa de R$ 130,16. Se a velocidade exceder à máxima entre 20% e 50% a infração é considerada grave e a multa é de R$ 195,23. Caso o condutor exceda em 50% a velocidade máxima permitida, a infração é considerada gravíssima com multa multiplicada por três, no valor de R$ 880,41, além da suspensão imediata do direito de dirigir e recolhimento do documento de habilitação.

As penalidades são pesadas, mas essa não é a única justificativa para respeitar o limite da via. O Portal do Trânsito lista alguns motivos para o condutor não exceder o limite de velocidade da via, além da multa. Maior probabilidade de acidentes

Ainda de acordo com o Relatório da OMS, com o aumento da velocidade média nas vias urbanas, há também um aumento na probabilidade de acidentes e na gravidade de suas consequências, em especial para os pedestres, ciclistas e motociclistas. Resumindo: quanto maior a velocidade, maior a chance de acontecer um acidente e maior a gravidade dele.

Menor chance de sobrevida de pedestres em caso de atropelamento

Estudos mostram que a partir de 80 km/h é praticamente impossível para um pedestre sobreviver a um acidente. A uma velocidade de 30km/h, o risco de morte do pedestre é reduzido para 10%.

Reação em caso de perigo

A velocidade inadequada reduz o tempo disponível para uma reação eficiente em caso de perigo na via. Em alta velocidade, muitas vezes não há tempo suficiente para evitar um acidente. Conforme estudos, o cérebro demora pelo menos 1 segundo para reagir diante de um novo estímulo. A 80km/h, em pista seca, o carro percorre 22 metros neste tempo, antes de o motorista pisar no freio.

Distância de parada

A distância de parada é aquela que o veículo percorre desde o momento em que você vê o perigo e decide parar até a parada total do veículo. A velocidade influencia diretamente no tempo para essa parada. Um automóvel a 80km/h, com pneus e freios em bom estado, em asfalto seco, leva aproximadamente 50 metros para parar.

Condições adversas

O bom senso manda que a velocidade do veículo seja compatível com todos os elementos do trânsito, principalmente às condições adversas. O tipo de piso, as condições climáticas, quantidade e posição de pedestres, motociclistas, caminhões e elementos do trânsito também são fatores que influenciam diretamente na decisão sobre a velocidade segura na via.

O post Cinco motivos para respeitar os limites de velocidade das vias, além da multa apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Acompanhe a Live “Você no Trânsito”

ter, 31/03/2020 - 12:35

A Live “Você no Trânsito” acontece toda terça-feira, às 12h, com temas específicos para ajudar o cidadão a se “dar bem” no trânsito. Hoje o tema é Suspensão do Direito de Dirigir.

 

O post Acompanhe a Live “Você no Trânsito” apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Páginas