Notícias

Subscrever feed Notícias
Prevenção, opinião e notícias de Trânsito.
Atualizado: 55 minutos 50 segundos atrás

Especialistas defendem educação para mudar comportamento de motoristas

qui, 28/11/2019 - 08:18
Foto: Arquivo Tecnodata.

As 38 mil mortes registradas em ruas e estradas de todo o País em 2018 acenderam o sinal de alerta entre parlamentares, representantes do governo e das autoescolas para a qualidade da formação dos motoristas brasileiros. Acidentes são a principal causa de afastamento do trabalho e respondem por 60% da ocupação de leitos nas emergências dos hospitais, segundo dados da ONG Observatório Nacional de Segurança Viária.

Em debate realizado nesta terça-feira (26) na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, especialistas criticaram resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e o projeto de lei do Poder Executivo (PL 3267/19) que altera o Código de Trânsito para, entre outros pontos, flexibilizar o uso dos simuladores nas aulas dos futuros condutores, reduzir a carga horária da formação e trocar parte das aulas presenciais pelo ensino a distância.

Durante a audiência pública, o deputado Abou Anni (PSL-SP) mostrou um vídeo em que um motorista de transporte de cargas perigosas leva no máximo meia hora para conseguir um certificado online. Junto com os representantes das autoescolas, o parlamentar se posicionou contrariamente à adoção dessa modalidade de ensino.

“Além de ser mais caro, o curso on-line não qualifica os condutores para estarem em via pública dirigindo”, disse Anni.

Comportamento

O relações institucionais do Observatório Nacional de Segurança Viária, Francisco Garonce, afirmou que 90% dos acidentes de trânsito são provocados por falha humana. Ele ressaltou que o desafio é promover uma mudança geral de comportamento.

“Não podemos negligenciar a questão do fator humano para a segurança viária. E isso está relacionado à educação, à formação para o trânsito.”

Os debatedores concordaram que essa educação deve ser vista de forma mais ampla, cobrindo do ensino fundamental à universidade.

“A autoescola não é responsável sozinha pela mudança de comportamento da sociedade. Nós temos a nossa parcela, não vamos nos furtar da formação teórico-técnica e de prática veicular. No entanto, as instituições também têm de colaborar”, declarou o presidente do Sindicato dos Centros de Formação de Condutores do Rio Grande do Sul, Edson Luiz da Cunha.

O coordenador-geral do Denatran, Francisco Brandão, reconheceu que os motoristas brasileiros recebem um treinamento por um período curto e que a educação no trânsito ainda não foi implantada.

As informações são da Agência Câmara

O post Especialistas defendem educação para mudar comportamento de motoristas apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

CFC de portas abertas para a comunidade

qua, 27/11/2019 - 14:57
Acervo Tecnodata Educacional

Sua comunidade sabe das capacidades e potenciais do seu CFC quando o assunto é trânsito? Possivelmente não. As pessoas procuram a autoescola quando precisam “tirar a habilitação”, renovar a CNH, mudar de Categoria, quando precisam fazer o Curso de Reciclagem ou ainda para Cursos Especializados. Elas não sabem que ali existe uma estrutura de escola, com salas e equipamentos, nem que ali trabalham um Diretor de Ensino e Instrutores que entendem muito de trânsito e mobilidade. E especialmente não sabem que os conhecimentos ali disponíveis podem ajudar a melhorar a segurança de todos no trânsito, das crianças aos idosos.

No Brasil, as autoescolas são praticamente as únicas instituições que formam os condutores. As poucas exceções são unidades do Exército. Todas as cidades brasileiras, com raras exceções, possuem pelo menos um Centro de Formação de Condutores. São aproximadamente 14 mil destas importantíssimas “instituições especiais de ensino”, espalhadas pelo território nacional.

Esta ampla distribuição faz dos CFCs um pólo potencial de difusão dos conhecimentos e da cultura de segurança no trânsito, para muito além da formação de condutores. Em um país com números tão preocupantes nesta área – estamos entre os 5 mais violentos no mundo – dispor de uma infraestrutura com salas de aula, equipamentos audiovisuais e mão-de-obra qualificada, é um alento. É um desperdício não utilizar os CFCs para ações educativas que beneficiem todas as pessoas da comunidade.

Porém, muito pouco, ou quase nada, tem sido feito neste aspecto. No geral os CFCs restringem-se à sua missão básica, que é formar condutores.

“O seu CFC está aberto para a comunidade? Abra as portas, convide as pessoas, receba-as com os braços abertos, demonstre os enormes benefícios que a sua “escola de trânsito” proporciona à comunidade e colha os muitos benefícios de ser uma empresa engajada na sociedade”, diz Celso Alves Mariano, Diretor do Portal do Trânsito.

Neste artigo trataremos daquele “algo a mais” que toda autoescola pode fazer. Os motivos para fazer isso? Selecionamos 3, todos muito bons: missão social, marketing eficaz e aprimoramento técnico da equipe técnica. 

Missão Social

As autorizações e protocolos de relacionamento entre os DETRANs e os CFCs não contemplam a expressão “missão social”. Mas qualquer pessoa jurídica ativa no Brasil, movimenta a economia, gera empregos e recolhe impostos. São aspectos minimamente vinculantes do empreendimento com a comunidade onde está inserida. Mas empresas cujas atividades estão ligadas a educação, como é o caso da formação de condutores, cumprem naturalmente um papel social importante, pela natureza de sua atividade-fim. 

Mas convenhamos, por mais modesta que seja a estrutura de um determinado CFC, o potencial educativo ali concentrado daria conta de atender um público muito maior do que a taxa de ocupação média verificada. Abrir as portas para a comunidade, oferecer palestras, oficinas ou aulas especiais para públicos além dos candidatos à primeira habilitação, transformam o CFC em um Centro de Educação para a Mobilidade.

Marketing

Desde há muito, mas especialmente nos últimos anos, a sociedade valoriza as empresas que se mostram engajadas nas questões da comunidade. Especialmente quando a atividade da empresa diz respeito a assuntos caros para as pessoas, como aumentar a segurança das pessoas nas proximidades de suas residências, da escola de seus filhos, do local de trabalho, etc. 

Talvez pela ação em si, mas também pela exposição obtida, vale a pena investir em um projeto deste tipo: a divulgação e a mídia espontânea geradas (as pessoas vão falar do seu CFC, dos instrutores, dos temas das palestras, etc) darão ao seu CFC um espaço que, para “comprar em anúncios”, não sairia barato.

Criar um Programa ou integrar-se a algum em andamento?

Para tomar essa decisão, considere vários fatores, mas principalmente do quanto a equipe do seu CFC sente-se preparada para lidar com novos públicos, e de quanto tempo e recursos você está disposto a investir. 

Há muitos programas e projetos em andamento no Brasil que merecem toda sua atenção, como a Década Mundial de Ação para a Segurança no Trânsito, da ONU/OMS, o PNATRANS, o Maio Amarelo, o Projeto Vida no Trânsito  e a própria Semana Nacional de Trânsito (de 18 a 25/09).

Com alguma regularidade, órgãos municipais e estaduais de trânsito elaboram e implementam campanhas e projetos que, se apoiados, podem ajudar muito na difusão de conhecimento e conscientização dos usuários do trânsito.

Além disso, muitas empresas e instituições do terceiro setor desenvolvem seus próprios projetos educacionais na área, como a Volvo, a Perkons e a Renault, e Institutos como o IST, Criança Segura, Instituto Prevenir, Fundação Thiago Gonzaga, Rua Viva e IPTRAN. Essas ações podem servir como referência ou mesmo o projeto ao qual a sua autoescola vai se juntar.

Participe de algum programa em andamento na sua cidade ou estado. Veja alguns exemplos aqui, aqui e aqui Conheça alguns exemplo de projetos em escolas: aqui, aqui, aqui e aqui

Mantenha-se atualizado sobre o que acontece neste universo de ações em prol de um trânsito mais humanizado e seguro. O Portal do Trânsito é uma ótima fonte de pesquisa, de conhecimento, de exemplos e de sugestões úteis para os apaixonados pela causa. Prepare um bom guia para a sua palestra. Aprenda com o Portal do Trânsito neste dois artigos: dicas para criar uma palestra de qualidade e crie uma palestra para a SNT.

Quando abrir as portas?

No calendário de eventos do trânsito, há vários momentos propícios: Dia do Instrutor de Trânsito (16/10), Dia do Trânsito (25/09), Dia Mundial Sem Carro (22/09), Dia Mundial em Memória às Vítimas do Trânsito (segundo domingo de novembro), etc. Mas há várias outras datas oportunas: 

  • Retorno das férias escolas: o trânsito pode sofrer intensificações na ordem de 30 a 40% de incremento entre férias escolares e reinício das aulas. Apesar disso acontecer sempre, e em dois momentos no ano, poucos usuários se preparam para tal. Está aí uma bela oportunidade do seu CFC prestar um serviço de utilidade pública, levando conhecimento e dicas para a população. 
  • Dia do professor: não esqueça que o instrutor de trânsito é, por força de sua atividade e, antes de tudo, um professor. 
  • Feriados municipais ou estaduais: apresentar dicas de viagem, em mini-aulas ou palestras de conscientização, pode ser uma ótima ação nas vésperas de feriados. Além de alocar estas atividades extras em momentos de pouco movimento no CFC, o que facilita a disponibilidade dos instrutores e da infraestrutura, há o encontro com o interesse do público pelo assunto.

Fique atento também às agendas de implementação de mudanças no trânsito no seu bairro, ou na sua cidade, seja por obras ou devido às alterações de sentido de circulação, liberação de acesso a novos trechos ou infraestrutura (semáforos, revitalização da sinalização, viadutos, pontes, etc). “Uma alteração significativa no trânsito pode ser uma bela oportunidade da autoescola prestar um serviço à comunidade, auxiliando o órgão de trânsito a comunicar o que mudou, os cuidados que os usuários devem tomar e mesmo divulgar os benefícios destas modificações”, lembra Mariano.

Muitas vezes é mais eficaz a comunicação de alguém percebido como sendo “da comunidade”, do que do órgão oficial. O CFC pode emprestar este crédito para o órgão de trânsito.

Lembrete: toda instituição, pública ou privada, que é sensível ao tema para realizar alguma atividade com este propósito, sempre o faz com restrições orçamentárias e dependendo muito da boa vontade e da colaboração de voluntários. Justamente por isso eles estarão receptivos ao apoio que você e o seu CFC possa oferecer.

Nem sempre será necessário, ou conveniente, criar um projeto exclusivo para o seu CFC. Muitas vezes a melhor opção é unir-se a um projeto já existente. Por outro lado, sempre que sua empresa e seus instrutores são protagonistas, os frutos colhidos no ponto de vista do marketing, são mais significativos.

Estabeleça relacionamentos além do seu universo

Muitas instituições podem ser receptivas ao seu projeto. Sugerimos visitar Igrejas, Clubes de Serviço como Lions e Rotary, ONGs, Escolas, Sub-prefeituras, Associações de Moradores, CONSEGs – Conselho de Segurança, destacamentos militares, postos policiais e empresas.

Muitas empresas criam e mantém programas educativos para a segurança, seja através de sua CIPA ou específicos de trânsito.

Aqui um belo exemplo de um projeto com Conselho de Segurança, o CONSEG Hugo Lange, de Curitiba/PR. Clique aqui.

Aprimoramento técnico

Manter este nível de atividade, estudar os assuntos de trânsito sobre outras perspectivas – que não apenas a dos futuros condutores – irá criar, naturalmente, um ambiente de estudos e pesquisas mais ativo e enriquecedor no seu CFC. Os novos contatos com pessoas de outras instituições vai trazer conhecimentos, histórias e experiências que serão estimulantes e novas fontes úteis de assuntos pouco frequentes nas salas de aula da autoescola.

Novas perguntas surgirão e, com elas, novos estímulos para ainda mais pesquisas e estudos. O corpo docente do CFC vai ficar  revigorado neste cenário estimulante. Palestras realizadas dentro e fora do CFC funcionarão como um estímulo para os instrutores se aprimorarem em seus conhecimentos.

Imprensa

Propaganda é a alma do negócio e, muitas vezes, a melhor propaganda é aquela matéria jornalística feita espontaneamente por algum veículo de comunicação na sua cidade que está atento e valoriza ações sociais genuinamente movidas pelo espírito de coletividade. Portanto, não dá para forçar a barra ou fazer de conta: realize ações que realmente levem uma contribuição consistente para a sensibilização de pedestres, ciclistas, condutores e usuários de patinetes.

Finalmente, é importante dizer que qualquer atividade destas vai demandar organização, criatividade e, especialmente, tempo dos proprietários e de funcionários da autoescola. Um bom planejamento e uma avaliação correta dos prós e contras vai ajudar a determinar, com segurança, qual o nível de participação social em atividades sociais que está ao alcance da empresa Centro de Formação de Condutores.

Uma última observação: convém sempre comunicar ou consultar o Detran antecipadamente, para evitar eventuais desentendimentos ou ações que sejam consideradas irregulares.

E você? O que tem feito neste sentido? Conte aqui nos comentários. Bom trabalho e sucesso!

O post CFC de portas abertas para a comunidade apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Após sequência de queda, número de acidentes aumenta nas rodovias federais

qua, 27/11/2019 - 08:07
Foto: Arquivo Tecnodata.

Dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), divulgados pelo jornal Bom Dia Brasil, apontam aumento no número de acidentes em rodovias federais entre agosto e outubro desse ano.

Esse crescimento interrompe uma sequência de quatro anos de queda e, segundo a reportagem, coincide com a suspensão do uso de radares móveis para fiscalização do excesso de velocidade, que foi determinada em 15 de agosto pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro.

As rodovias federais continuam sendo monitoradas por radares fixos.

Segundo os dados da PRF, entre 16 de agosto e 31 de outubro, foram registrados 14.629 acidentes, uma alta de 7,2% sobre o mesmo período de 2018.

Para Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal, o trânsito precisa ser tratado com mais cuidado.

“Num contexto onde a fiscalização é oficialmente demonizada e parte significativa dos usuários do trânsito quer mais é ter menos restrições, as medidas implementadas ou, ainda que apenas propostas, podem ter sido percebidas como uma mensagem de liberou geral. É temeroso simplesmente associar uma coisa à outra, mas é inegável que um assunto sensível como é o funcionamento do trânsito merecia ter tido maior cuidado na comunicação”, diz.

A quantidade de mortos nesse período também aumentou. A reportagem mostra que o número passou de 1.089 para 1.102, um aumento de 1,19%. O volume de feridos também teve alta, de 7,1%, indo de 15.726, em 2018, para 16.843.

As estatísticas mostram também que todos esses índices vinham caindo ano a ano desde 2014, nesse período.

Suspensão de radares móveis

O Despacho do Presidente da República foi publicado no Diário Oficial da União de 15 de agosto e suspendeu o uso de equipamentos medidores de velocidade estáticos, móveis e portáteis pela Polícia Rodoviária Federal até que o Ministério da Infraestrutura conclua a reavaliação da regulamentação dos procedimentos de fiscalização eletrônica de velocidade nas estradas e rodovias federais.

Ainda de acordo com o Despacho, a decisão ocorreu para evitar o desvirtuamento do caráter pedagógico e a utilização meramente arrecadatória dos instrumentos e equipamentos medidores de velocidade.

O post Após sequência de queda, número de acidentes aumenta nas rodovias federais apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Artigo: o veículo que bate atrás é sempre o culpado?

ter, 26/11/2019 - 13:57

*Daniel Menezes

“O acidente de trânsito é a consequência da infração de trânsito” (Cássio Mattos Honorato).

Foto: Pixabay.com

Provavelmente você já ouviu ou leu a seguinte afirmação: “o veículo que bate atrás está sempre errado”. Ledo engano, caros Leitores. Como bem leciona o professor, amigo e coautor da obra curso de Legislação de Trânsito da editora Juspodivm, Gleydson Mendes: “quem bate na traseira na maioria das vezes é o culpado”. Ou seja, nem sempre é o responsável.

É sabido e consabido que as regras de trânsito encontram-se na Lei 9.503, de 23 de setembro de 1997, o Código de Trânsito Brasileiro. Desse modo, é oportuno mencionar que o legislador estabeleceu, via de regra, a culpa presumida daquele que bate na traseira do veículo de outrem, uma vez que deixou de guardar a distância de segurança entre o seu e os demais veículos (CTB, arts. 29 II e 192). Ressalte-se, ainda, que não há determinação exata de qual deve ser a distância guardada entre um veículo e outro na legislação. Por sua vez, não se pode confundir com o comando do artigo 201 que disciplina a distância lateral de um metro e cinquenta centímetros do veículo ao ultrapassar a bicicleta.

No entanto, observa-se também, colisões em que o condutor do veículo da frente foi quem errou e, dessa forma, deu causa ao acidente.

A propósito, eis a jurisprudência:

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS E MORAIS. ACIDENTE DE TRÂNSITO. BOLETIM DE OCORRÊNCIA.  PRESUNÇÃO RELATIVA DE VERACIDADE. COLISÃO TRASEIRA. ART. 29, INCISO II, DO CTB. PARADA BRUSCA NA PISTA DE ROLAMENTO DO VEÍCULO DA FRENTE. AUSÊNCIA DE PERIGO IMINENTE. NEGLIGÊNCIA E IMPRUDÊNCIA. RESPONSABILIDADE CIVIL DE INDENIZAR AFASTADA.

Provado que o veículo que seguia à frente parou repentinamente sobre a pista de rolamento, não havendo situação de perigo iminente, deve ser imputada a este a responsabilidade pela colisão.

(TJMG –  Apelação Cível 1.0338.07.058433-3/003, Relator(a): Des.(a) Sérgio André da Fonseca Xavier , 18ª CÂMARA CÍVEL, julgamento em 09/10/2018, publicação da súmula em 11/10/2018).

Como se vê, há julgados no sentido de afastar a responsabilidade [culpa] do condutor que bate atrás de outrem, isto porque, a culpa é relativa – iuris tantum -, e não absoluta, portanto, admite-se prova em sentido contrário. Outrossim, é vedado ao condutor frear repentinamente [bruscamente], salvo por razões de segurança. Ora, nesta ocasião, o fator determinante para dar azo ao acidente foi, evidentemente, o desrespeito à norma geral de circulação (CTB, art. 42). Ademais, convém ponderar que os indivíduos que praticarem ato ilícito, e este ensejar em dano a outrem, ficam obrigados a repará-lo (CC art. 927; CTB, art. 186).

Por último, saliento que, não tenho a pretensão de esgotar o assunto, mas tão somente buscar demonstrar que cada caso deve ser analisado minuciosamente, a fim de não se causar injustiças.

E você, leitor, já passou por isso?

* Daniel Menezes é Acadêmico de Direito.

O post Artigo: o veículo que bate atrás é sempre o culpado? apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Viação e Transportes debate formação de condutores no Brasil

ter, 26/11/2019 - 08:16
Foto: Freeimages.com

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados promove audiência pública nesta terça-feira (26) para discutir o processo de formação de condutores no Brasil. O pedido para o debate é dos deputados Abou Anni (PSL-SP); Juscelino Filho (DEM-MA); Hugo Leal (PSD-RJ); Bosco Costa (PL-SE); Christiane de Souza Yared (PL-PR); e Carlos Gomes (Republicanos-RS).

Os deputados estão preocupados com a revisão das regras para concessão e renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e para formação de condutores. Juscelino Filho chama a atenção, por exemplo, para a simplificação de procedimentos com o objetivo de reduzir custos e burocracia.

Além disso, serão tratados temas como cursos EAD, obrigatoriedade de aulas noturnas e dos simuladores de direção nos Centros de Formação de Condutores. Foram convidados para a audiência:
  • o ministro de Estado da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas;

  • o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, Adriano Marcos Furtado;

  • o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Jerry Adriane Dias Rodrigues;

  • Presidente do Sindicato das Auto Moto Escolas e Centro de Formação de Condutores do Estado de São Paulo, representando a Federação Nacional das Autoescolas – FENEAUTO, Magnelson Carlos de Souza; entre outros.

O debate ocorre às 14h30 desta terça, no plenário 11.

Agência Câmara de Notícias

O post Viação e Transportes debate formação de condutores no Brasil apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Destaques CFC News: debate sobre Formação de Condutores, estudo sobre motociclistas e CNH aos 16 anos

seg, 25/11/2019 - 18:09

A jornalista Mariana Czerwonka apresenta o CFC News com as principais notícias da semana.

Audiência Pública

Está marcada para amanhã (dia 26), às 14h30, uma audiência pública na Câmara dos Deputados para discutir o processo de Formação de Condutores no Brasil.

Estudo Moto

Na semana passada foi apresentado o estudo “Motociclistas na Cidade de São Paulo”, desenvolvido pela Fundación MAPFRE, que retrata o comportamento e os índices de mortalidade destes condutores no trânsito na capital paulista.

Homenagem

A Câmara homenageou, no mês passado, projetos e personalidades que se destacaram nas áreas de mobilidade, saneamento e habitação.

CNH aos 16 anos

Um Projeto de Lei que começou a tramitar no Senado pretende alterar o Código de Trânsito Brasileiro para autorizar a emissão de Permissão para Dirigir a partir dos dezesseis anos de idade.

 

O post Destaques CFC News: debate sobre Formação de Condutores, estudo sobre motociclistas e CNH aos 16 anos apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Marketing para CFCs: como alavancar as vendas da empresa através da internet

seg, 25/11/2019 - 08:14
Foto: Freeimages.com

A internet é a principal ferramenta para qualquer negócio que dependa de vendas, e o Centro de Formação de Condutores (CFC) pode se beneficiar muito do potencial dessa ferramenta.

Afinal, o mundo todo está conectado e buscando por serviços e produtos com qualidade e eficiência comprovadas.

Veja a seguir como você pode alavancar as vendas da sua empresa através da internet, e se destacar dos concorrentes.

Maior alcance e mais potenciais clientes

Se antes autoescolas, comércios e outros tipos de negócios tinham dificuldade para superar as barreiras geográficas que limitavam seu alcance, hoje a realidade é totalmente diferente.

Mesmo se a sua autoescola está em uma cidade do interior do Brasil, é possível encontrar mais clientes e fazer com que eles queiram ir até você por conta da sua experiência, além de outros fatores.

As redes sociais são muito poderosas para essa finalidade, e permitem que você também crie relacionamento com o público da sua autoescola.

O que por sua vez aumenta e muito as chances de que essas pessoas se tornem seus clientes, mesmo vivendo em áreas mais distantes.

Percepção maior de valor perante a concorrência

A concorrência no mercado de CFCs, assim como qualquer outro, é bem acirrada, e por isso você precisa fazer com que as pessoas enxerguem mais valor no serviço oferecido pela sua empresa do que pelos seus concorrentes.

E isso pode ser feito através da sua presença online.

Muitas empresas ainda acham que apenas criar um site e colocá-lo no ar é o suficiente para ter milhares de visitas e encontrar muitos alunos novos.

O problema é que para conseguir resultados efetivos pela web é preciso muito mais do que isso, e um dos pilares desse trabalho deve ser a produção de conteúdo.

São esses conteúdos que serão encontrados pelos usuários em anúncios ou nas buscas realizadas em sites como o Google.

Por isso, se você deseja que a sua autoescola consiga se beneficiar de todo o potencial da internet, é necessário investir nesse tipo de trabalho.

Você pode ir por basicamente 2 caminhos, seja através da criação de um blog ou de um canal de vídeos no Youtube.

Independente da plataforma escolhida, essas publicações precisam conter material que responda dúvidas e objeções do público-alvo da sua empresa.

Redução de custos

Enquanto um anúncio em uma emissora de televisão custa alguns milhares de reais, sem qualquer tipo de garantia sobre resultados, utilizar a internet para alavancar seus negócios tem um custo dezenas de vezes mais baixo.

Afinal, é possível colocar campanhas de anúncio no ar no Facebook ou no Google com alguns poucos reais, por exemplo.

Além disso, é possível saber exatamente os resultados que essas campanhas tiveram, e assim trabalhar nas correções necessárias.

Ser encontrado pelas pessoas

Já diz o ditado que “se a sua empresa não está na internet, ela não existe”. Portanto, se você quer que a sua autoescola “exista” precisa ser encontrado pelos usuários quando eles buscam pelo mesmo tipo de serviço que você oferece.

Para isso, você deve cadastrar seu CFC tanto no Google Maps quanto no Google Meu Negócio. Assim você pode ter suas informações exibidas quando alguém pesquisar sobre temas relacionados ao seu negócio.

Agora que você já sabe como a internet pode ajudar a alavancar os resultados da sua autoescola, é só colocar essas dicas em prática e esperar os resultados.

O post Marketing para CFCs: como alavancar as vendas da empresa através da internet apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Comissão pretende atualizar CTB para atender a diretrizes da Educação

dom, 24/11/2019 - 08:19
Foto: Freeimages.com

A Comissão de Viação e Transportes aprovou o Projeto de Lei 4736/19, que pretende atualizar a redação do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) para adequá-lo à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

A nova redação estabelece que a educação para o trânsito será promovida na educação infantil, no ensino fundamental, no ensino médio e na educação superior, por meio de planejamento e ações coordenadas entre os órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito e de Educação, da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, nas respectivas áreas de atuação. O texto atual usa termos em desuso como “pré-escola 1º, 2º e 3º”.

O deputado Bosco Costa (PL-SE), autor do projeto, justifica a alteração argumentando que ela é necessária para garantir a plena educação para o trânsito seguro.

Segundo o relator, deputado Professor Joziel (PSL-RJ), a iniciativa é bem-vinda pois reforça a aplicabilidade do texto do Código.

“A compatibilização dos termos usados no CTB com os da legislação facilitará a execução das políticas de educação para o trânsito em todas as etapas”, afirmou.

Tramitação

O projeto ainda será analisado em caráter conclusivo pela Comissão e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

As informações são da Agência Câmara

O post Comissão pretende atualizar CTB para atender a diretrizes da Educação apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Dirigir embriagado não gera apenas multa. Veja o que pode acontecer!

sab, 23/11/2019 - 08:24

Por Jeniffer Elaina,

do SeguroDeAutomovel.org

Foto: Divulgação.

No Brasil, para determinar quais são as regras de trânsito existe o Código de Trânsito Brasileiros (CTB). Em 2008, foi criada a Lei Seca, que alterou o CTB e que tinha como objetivo fiscalizar e penalizar quem insistia em dirigir embriagado, pois o número de mortes por esse motivo estava preocupando.

Desde 2008 até 2018, foi possível notar uma redução de 14% nas mortes de trânsito causadas por motoristas bêbados, porém, o número de autuações subiu de 44.697 para 235.951 de 2008 a 2017. Um crescimento também foi notado nas internações do SUS de vítimas de acidentes.

Esses dados indicam que, além de infringir a lei, a vida das pessoas está sendo colocada em risco. Mas você sabe quais são os problemas de dirigir sob o efeito do álcool? Problemas em dirigir embriagado

Quem for flagrado dirigindo embriagado acabará sofrendo as penalidades previstas na Lei Seca. Ela passou por algumas mudanças e ficou mais rígida e isso significa que qualquer concentração de álcool no sangue já gera problemas.

Isso pode ser provado com o uso de bafômetro, um instrumento que mede quantidade de álcool no organismo de forma rápida e simples. Se a pessoa se recusar a fazer o teste, o policial pode constatar a embriaguez por meio de sinais.

Se for pego nessa situação, veja o que acontecerá:

  • O veículo será retido e só poderá ser removido por um condutor habilitado. Se não for apresentado um condutor apto, o veículo pode ser removido para o pátio. O tempo que o carro fica no pátio gera um valor a ser pago.
  • Será gerada uma infração gravíssima na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do condutor.
  • Terá que ser paga uma multa no valor de R$ 2.934,70 pela infração de dirigir embriagado.
  • A habilitação será recolhida pelo agente de trânsito.
  • Será iniciado um processo para a suspensão da Carteira, sendo que, quando finalizado, a pessoa ficará suspensa de dirigir por 12 meses.
  • Você não recebe indenização do seguro se houver um acidente e for comprovado que o álcool foi decisivo.
  • Se o motorista for flagrado dirigindo com a CNH suspensa, será feita a Cassação com a restrição de dirigir por 24 meses.
  • Após passado o prazo da suspensão/cassação, para ter a habilitação de volta será preciso passar por um curso de reciclagem e exame teórico.
Além de todos esses problemas, existe o fato de colocar a sua própria vida e de terceiros em risco por ter redução dos reflexos e atenção ao dirigir por conta do álcool. Alternativas para não dirigir embriagado

Se acabar saindo com os amigos e estiver dirigindo, lembre-se que não poderá beber. Entretanto, se quiser consumir bebidas alcoólicas e não correr nenhum risco, pense em algumas dessas alternativas:

  • Entregue o carro para um motorista habilitado e que não tenha consumido bebidas alcoólicas para que ele conduza o veículo.

  • Ligue para um amigo, parente ou serviço de Motorista Amigo que alguns seguros de carro possuem para que ele possa buscar o veículo e te levar em casa.

  • Use um táxi ou serviço de aplicativo para ir embora e no dia seguinte busque o veículo.

  • Durma no local, se estiver na casa de amigos, e espere para ir embora no dia seguinte, quando o efeito da bebida já estiver passado.

Existem alternativas para que não seja preciso pegar no volante após beber e elas ajudam a se livrar de todas as penalidades previstas em lei. É só escolher uma das formas de fazer isso.

Tomando esses cuidados não será pego por dirigir embriagado e estará cuidando da sua vida (e da dos demais).

 

O post Dirigir embriagado não gera apenas multa. Veja o que pode acontecer! apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Masculinidade tóxica fará com que 1 em cada 5 homens nas Américas não alcancem os 50 anos

sex, 22/11/2019 - 15:22
Foto: Freeimages.com

A expectativa de vida dos homens na Região das Américas é 5,8 anos menor que o das mulheres, em parte porque as expectativas da sociedade contribuem para comportamentos de busca de riscos, revela um novo relatório da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). O documento foi lançado às vésperas do Dia Internacional do Homem (19 de novembro).

O resumo executivo do relatório “Masculinidades e saúde na região das Américas” (disponível em espanhol e inglês) destaca que as expectativas sociais dos homens de serem provedores de suas famílias, terem condutas de risco, serem sexualmente dominantes e evitarem discutir suas emoções ou procurar ajuda – comportamentos comumente referidos como “masculinidade tóxica” – estão contribuindo para maiores taxas de suicídio, homicídio, vícios e acidentes de trânsito, bem como doenças crônicas não transmissíveis.

“Não devemos perder de vista o fato de que as mulheres assumem riscos diferenciais associados a sua condição de mulher”, disse Anna Coates, chefe do escritório de Equidade, Gênero e Diversidade Cultural da OPAS.

“Mas a socialização dos homens também leva a uma ampla gama de problemas de saúde que só podem ser resolvidos por meio de políticas, programas e serviços de saúde receptivos que foquem em suas necessidades particulares”.

O relatório também destaca que um em cada cinco homens morre antes dos 50 anos e muitas das principais causas de morte nas Américas, incluindo doenças cardíacas, violência interpessoal e acidentes de trânsito, estão diretamente relacionadas a comportamentos “machistas” construídos socialmente.

Construções sociais em torno da masculinidade

Segundo o relatório, os papéis, normas e práticas de gênero socialmente impostas aos homens reforçam a falta de autocuidado e a negligência de sua própria saúde física e mental.

Esse conceito de masculinidade, ou machismo, como é conhecido nas Américas, leva ao risco para mulheres e crianças, na forma de violência, infecções sexualmente transmissíveis e falta de responsabilidade compartilhada em casa; risco para outros homens, como acidentes, homicídios e outros tipos de violência; e risco para si mesmo, como suicídio, acidentes, alcoolismo e outros vícios.

Isso não apenas afeta a saúde dos próprios homens, mas também leva a resultados negativos para mulheres e crianças em termos de violência interpessoal, infecções sexualmente transmissíveis, gravidez imposta e paternidade ausência.

O relatório também destaca que a discriminação por idade, etnia, pobreza, estado laboral e sexualidade agravam ainda mais esses resultados negativos para a saúde dos homens.

Diferenças nas causas de mortes entre homens e mulheres

As diferenças na mortalidade de homens e mulheres nas Américas começam a surgir por volta dos 10 anos de idade e aumentam rapidamente a partir dos 15 anos, quando predominam causas violentas de morte, como homicídios, acidentes e suicídio. Como resultado, a taxa de mortalidade de homens jovens é de quatro a sete vezes maior que a de mulheres jovens.

Embora os dados globais para algumas causas de morte, incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, infecções das vias respiratórias inferiores e diabetes, permaneçam semelhantes entre homens e mulheres, três das principais causas de morte mostram variações significativas entre homens e mulheres: homicídios (7:1 na proporção homem/mulher, o que significa que sete homens são mortos para cada mulher assassinada); lesões nas vias (3:1); e cirrose hepática causada pelo álcool, que é duas vezes maior entre os homens do que entre as mulheres.

A partir dos 50 anos, as doenças crônicas não transmissíveis começam a afetar desproporcionalmente os homens, que têm menor probabilidade de cuidarem de si mesmos ou procurarem atendimento médico precocemente.

Como resultado, embora haja mais meninos do que meninas nascidas no mundo (105 meninos para cada 100 meninas), esse número começa a se inverter entre as idades de 30 e 40 e, aos 80, há 190 mulheres para cada 100 homens, tendo em vista que os homens morrem mais jovens.

Avançando

Para abordar questões relacionadas à socialização masculina e alcançar a igualdade de gênero na saúde, mulheres e homens precisam de acesso a serviços de saúde que levem em consideração suas necessidades particulares.

O relatório pede aos países que implementem nove recomendações para ajudar a melhorar a saúde dos homens:
  • Melhorar, sistematizar e disseminar dados sobre masculinidades e saúde

  • Desenvolver políticas públicas e programas de saúde para prevenir e resolver os principais problemas que afetam os homens ao longo da vida

  • Eliminar as barreiras que impedem que meninos e homens acessem cuidados de saúde

  • Desenvolver iniciativas intersetoriais que incorporem a saúde em todas as políticas, particularmente na educação

  • Promover práticas positivas de saúde existentes nas quais os homens já se envolvem

  • Garantir a participação de todas as comunidades (incluindo homens, mulheres e comunidades LGBTI+)

  • Promover a capacitação em gênero e masculinidades para os trabalhadores do setor da saúde

  • Fortalecer os programas de prevenção e promoção da saúde voltados para crianças e jovens

  • Garantir que instituições, incluindo o setor da saúde, universidades e sociedade civil, se concentrem na prevenção do impacto e dos custos de masculinidades rígidas/tóxicas.

O post Masculinidade tóxica fará com que 1 em cada 5 homens nas Américas não alcancem os 50 anos apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

CCJ aprova PL que prevê pena alternativa à suspensão da CNH

sex, 22/11/2019 - 08:10
Foto: Arquivo Portal do Trânsito.

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou proposta que dá ao condutor que acumular mais de 20 pontos na carteira por infrações leves ou médias a possibilidade de trocar a suspensão do direito de dirigir pela prestação de serviços comunitários em diversas áreas, inclusive na proteção e preservação ambiental.

A medida está prevista no Projeto de Lei 2246/11, do deputado Roberto de Lucena (Pode-SP), que foi aprovado em caráter conclusivo e poderá ir direto para o Senado, a não ser que haja recurso para votação no Plenário da Câmara.

A pena alternativa depende do aval da autoridade de trânsito, se considerar que esta providência será mais educativa de acordo com o prontuário do infrator.

A proposta recebeu parecer favorável do relator, deputado Diego Garcia (Pode-PR), que propôs mudanças na redação para adequar o texto ao Código de Trânsito vigente.

As informações são da Agência Câmara

O post CCJ aprova PL que prevê pena alternativa à suspensão da CNH apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Quinta-feira é dia de “Tira-dúvidas” no Portal do Trânsito. Assista!

qui, 21/11/2019 - 14:38

Acompanhe a transmissão do Portal do Trânsito, pelo Facebook, para responder as dúvidas dos internautas sobre os mais variados assuntos de trânsito.

O post Quinta-feira é dia de “Tira-dúvidas” no Portal do Trânsito. Assista! apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Últimos dias para se inscrever e concorrer ao “CTB – versão de bolso”

qui, 21/11/2019 - 08:16
Foto: Divulgação.

O Portal do Trânsito irá sortear no dia 28 de novembro de 2019, um exemplar da 1º edição do livro “Código de Trânsito Brasileiro – versão de bolso” com a organização de Julyver Modesto de Araújo, especialista em legislação de trânsito, e publicação da Editora Tecnodata Educacional.

O Código de Trânsito Brasileiro atualmente em vigor é o 4º Código de Trânsito do país, tendo sido instituído pela Lei n. 9.503, de 23 de setembro de 1997 e com vigência inicial em 22/01/98. Desde então, já foi alterado por outras trinta e oito leis (sendo a mais recente a de nº 13.855, de 08/07/19), as quais estão todas incorporadas no texto presente nesta obra.

Nesta versão bolso, algumas informações foram inseridas nas infrações de trânsito, como Resoluções principais relacionadas a cada dispositivo legal, valores das multas, total de pontos no prontuário, tempo de suspensão do direito de dirigir, competência para fiscalização, responsabilidade pela infração, necessidade (ou não) de abordagem e códigos de enquadramento para preenchimento dos autos de infrações (constantes da Portaria do Denatran n. 59/07, com as alterações da Portaria n. 03/16).

Para participar do sorteio, basta preencher o formulário no link abaixo, e no corpo da mensagem escrever: “Eu quero concorrer ao CTB- versão de bolso”. As inscrições poderão ser feitas até o dia 26 de novembro.

Para preencher o fomulário, clique aqui. Lembre-se de preencher os dados corretamente, pois se faltarem informações ou o e-mail de validação voltar, a inscrição não é efetivada.

O sorteio ocorrerá, ao vivo, no dia 28 de novembro de 2019, durante o Programa Tira-Dúvidas, no canal do Portal no Facebook.

 

O post Últimos dias para se inscrever e concorrer ao “CTB – versão de bolso” apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

CNH suspensa: curso de reciclagem EAD está disponível no PR

qua, 20/11/2019 - 15:36
Foto: Freeimages.com

O condutor que tiver sua CNH suspensa ou a habilitação cassada já pode realizar o curso de reciclagem para condutores infratores na modalidade de Educação à Distância (EAD) no Paraná. O curso é regulamentado pela Resolução n.º 730/2018 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e pela Portaria n.º117/2018 COOHA-DG do estado do Paraná.

Curso online

A duração do curso de reciclagem EAD é de 30 horas aula e contempla as disciplinas de Relacionamento Interpessoal, Direção Defensiva, Primeiros Socorros e Legislação de Trânsito, conforme Resolução n.º168/2004 do Contran.

A duração mínima do curso para quem tem a CNH suspensa é de três dias, mas o condutor tem até 45 dias para finalizar o curso. É possível estudar em qualquer hora e lugar e o ambiente online é compatível com qualquer dispositivo: computador, tablet ou celular (smartphone). O curso de reciclagem online fica disponível 24 horas por dia.

CNH suspensa: o que fazer

O primeiro passo para o condutor regularizar a sua situação é entregar sua CNH no DETRAN, nas Ciretrans ou em um CFC credenciado. A entrega gera o número do processo e dá início à contagem do prazo de suspensão. Se preferir a modalidade EAD, o condutor deve escolher uma instituição credenciada para este formato.

Com um curso prático e amigável, além de 99,7% de aprovação, a Tecnodata Educacional já oferece este curso para os condutores paranaenses.

 “O Curso de Reciclagem cumpre uma importante missão no resgate da consciência cidadã e do comportamento responsável do condutor. Ainda há um longo caminho a ser percorrido na humanização do trânsito brasileiro, afinal, nossos índices de mortes, acidentes e incidentes no trânsito, apesar de terem melhorado nos últimos anos, ainda são muito elevados, quando comparados aos de países mais desenvolvidos. Compreensivelmente, a Reciclagem é vista com antipatia por boa parte dos condutores que a ela são submetidos, mas hoje ela tem uma inegável importância no processo de amadurecimento dos usuários do trânsito”, diz César Bruns, diretor presidente da Tecnodata Educacional.

Após cumprir a carga horária em curso EAD, a instituição irá certificar o condutor junto ao DETRAN, via sistema, permitindo a realização da prova eletrônica de reciclagem (mediante pagamento da taxa e agendamento do exame).

Não é do Paraná? Clique aqui e veja se o seu estado oferece a modalidade EAD. Como desbloquear CNH suspensa

Se o condutor for aprovado na prova eletrônica, a regularização da habilitação dependerá apenas do cumprimento do prazo de suspensão da CNH. Em caso de reprovação, o condutor poderá refazer a prova eletrônica após 5 dias, (mediante novo agendamento e recolhimento taxa).

Caso reprove pela segunda vez, terá que se matricular em novo curso de reciclagem (podendo ser EAD), tendo que submeter-se novamente à prova eletrônica (mediante agendamento e pagamento da taxa). Se reprovar novamente, deverá matricular-se em novo curso de reciclagem obrigatoriamente na modalidade presencial. Esta condição visa garantir ao condutor um atendimento individualizado, com objetivo de sanar suas dificuldades, conforme estabelece a Resolução n.º 168/2004 do Contran.

Suspensão do direito de dirigir

A penalidade de suspensão do direito de dirigir é aplicada em certos crimes de trânsito e infrações, quando o condutor atingir 20 pontos no prontuário da sua CNH, ou quando cometer uma infração que leve à suspensão direta.

A primeira suspensão por pontos, que era de 30 dias, recentemente foi elevada para seis meses e, em caso de reincidência no período de 12 meses, a suspensão poderá variar de oito meses a dois anos. No caso de infrações que levam à suspensão direta do direito de dirigir, o prazo será de dois a oito meses e, em caso de reincidência, a suspensão será de oito a 18 meses.

Penalidade

Dirigir com carteira suspensa ou cassada é infração gravíssima e o motorista está sujeito à multa de R$ 880,41, conforme o art. 263 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Além disso, o motorista pode ter a carteira de habilitação cassada e terá de esperar dois anos para requerer a reabilitação.

Para acessar o Curso de Reciclagem EAD da Tecnodata, clique aqui Parceria com os CFCs Para os Centros de Formação de Condutores que tenham interesse em disponibilizar o curso EAD, a Tecnodata oferece vários benefícios. Clique aqui e saiba mais.

 

O post CNH suspensa: curso de reciclagem EAD está disponível no PR apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Senador afirma que acionará a justiça contra a extinção do DPVAT

qua, 20/11/2019 - 08:15
Foto: Freeimages.com

O senador Fabiano Contarato (REDE-ES) afirmou que acionará a justiça contra a MP 904/19 que extingue, a partir de 1º de janeiro de 2020, o Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por veículos automotores de via terrestre, o chamado DPVAT.

A Medida foi assinada na semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro, com o objetivo, segundo o governo, de evitar fraudes e amenizar os custos de supervisão e de regulação do seguro por parte do setor público, atendendo a uma recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU).

Em suas redes sociais, o Senador destacou a importância do Seguro. “O DPVAT é um seguro para vítimas de trânsito. Sua importância é enorme! Não podemos abrir mão dele. Além da indenização a todas as vítimas de acidentes, destaco que 45% do que é arrecadado vai para o Sistema Único de Saúde (SUS). Sou contra essa medida e vou acionar o Judiciário”, afirmou.

Ainda de acordo com  Contarato, a justificativa do governo não se sustenta, pois “havendo fraude, a obrigação é combatê-la”.

Para ele, o mais importante é garantir as verbas do SUS, que provém do DPVAT.

“Não podemos abrir mão de receita que indeniza todas as vítimas de acidentes de trânsito, e em, partes ampara o SUS ”, diz.

O Ministério da Economia disse que a medida provisória não desampara os cidadãos no caso de acidentes, já que, quanto às despesas médicas, há atendimento gratuito e universal na rede pública, por meio do SUS [Sistema Único de Saúde]. Para os segurados do INSS [Instituto Nacional do Seguro Social], também há a cobertura do auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, auxílio-acidente e de pensão por morte.

O Senador rebate essa afirmação e diz que o SUS e a Previdência não substituem o Seguro e já estão sobrecarregados com a demanda atual. “Estamos diante de uma falácia que lesa a população”, conclui.

 

O post Senador afirma que acionará a justiça contra a extinção do DPVAT apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Aplicativo Carteira Digital de Trânsito ganha mais recursos

ter, 19/11/2019 - 13:46
Foto: Arquivo Portal do Trânsito

O Ministério da Infraestrutura, por meio do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), lançou, nesta segunda-feira (18), a nova Carteira Digital de Trânsito (CDT). O aplicativo, desenvolvido pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), está disponível gratuitamente nas lojas Google Play e App Store, e chega agora com um novo layout e novas funcionalidades.

O lançamento, realizado pelo secretário Nacional de Transportes Terrestres do Ministério, Marcello da Costa, durante a abertura do Salão Duas Rodas, em São Paulo, faz parte do Programa de Transformação Digital do Governo Federal, que tem o objetivo de facilitar a vida do cidadão, reduzir processos e gerar mais economia aos cofres públicos.

“Essa nova CDT é o primeiro marco de um projeto maior de aproximar o Governo Federal do cidadão. Vamos fazer isso transformando a CDT numa plataforma de serviços, facilitando o acesso à informação e o controle que o cidadão vai ter sobre os seus documentos”, afirmou o secretário.

Mais moderna e completa

A CDT – que está em vigor desde 2017 – vai funcionar agora como uma interface do cidadão com os serviços de trânsito. Pelo aplicativo, é possível, por exemplo, consultar o histórico de emissão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), compartilhar o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), exportar os documentos e consultar infrações. A CNH e o CRLV digitais têm mesmo valor legal dos documentos impressos. Além disso, com o aplicativo instalado, o condutor poderá receber notificações, como aviso de vencimento da CNH e o aviso de recall, com as orientações sobre o defeito e as providências necessárias.

Para o presidente do Serpro, Caio Paes de Andrade, a solução é mais uma novidade que contribui para a consolidação do governo digital, garantindo mais eficiência e segurança no trânsito.

“A nova CDT aumenta a assertividade na comunicação com o cidadão. A tecnologia de aviso de recall praticamente elimina a possibilidade de desconhecimento da convocação para a reparação do veículo, proporcionando mais segurança para as pessoas”, ressaltou.

Atualmente, o Denatran possui cerca de 10 milhões de recalls registrados e, em média, apenas 43% desses chamados são atendidos pelos proprietários.

De acordo com Jerry Dias, diretor do Denatran, vinculado à Secretaria Nacional de Transportes Terrestres do Ministério da Infraestrutura, também está prevista uma interação da nova CDT com o aplicativo Sistema de Notificação Eletrônica (SNE) para o pagamento de multas. Hoje, a versão da nova CDT permite que o condutor tenha informações sobre infrações, mas com a integração, o condutor terá a possibilidade de efetuar o pagamento de multas com até 40% de desconto. A funcionalidade está prevista para 2020, segundo o diretor.

Recall

Os ministérios da Infraestrutura e da Justiça assinaram, em julho deste ano, portaria conjunta para criação do Serviço Nacional de Registro e Notificação de Recall de Veículos, que entrou em vigor no dia 1º de outubro. O serviço teve sua primeira versão implantada e já permite a notificação de proprietários de veículos por meio do aplicativo SNE.

Com o aplicativo instalado, o proprietário do veículo será notificado sobre a necessidade de reparação diretamente pelo celular. Quando o proprietário possui o cadastro atualizado no Portal de Serviços do Denatran, ele também é notificado por e-mail. A ideia é permitir uma comunicação mais ágil com o proprietário do veículo, agilizar a reparação da falha e evitar a ocorrência de acidentes.

A portaria interministerial também prevê a inclusão do chamamento nos documentos físicos do veículo, ainda sem data definida. Atualmente, as notificações são realizadas por jornais, sites de notícias, rádio e televisão, e no aplicativo CDT.

Carteira de Motorista

A nova CDT possibilitará a adesão de um maior número de pessoas à Carteira Nacional de Habilitação (CNH) digital. Hoje, existem 3 milhões de CNH-e válidas em todo o Brasil, e outras 40 milhões de CNHs com potencial para a versão eletrônica. São CNHs impressas que já possuem o QR Code.

Clique aqui para acessar o tutorial do Serpro sobre como obter a Carteira Digital de Trânsito (CDT).

Assessoria Especial de Comunicação do Ministério da Infraestrutura

O post Aplicativo Carteira Digital de Trânsito ganha mais recursos apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Relator afirma que pretende modificar pontos do PL que altera o CTB

ter, 19/11/2019 - 08:13
Foto: Especialistas afirmam que assento deve ser usado até 1,45m de altura. Foto: Arquivo Tecnodata.

No dia 04 de junho desse ano, o presidente Jair Bolsonaro enviou um Projeto de Lei que modifica o Código de Trânsito Brasileiro para, entre outras alterações, ampliar de cinco para 10 anos a validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e dobrar dos atuais 20 para 40 o limite de pontos para a suspensão do documento.

O PL 3267/19, tramita em uma comissão especial na Câmara dos Deputados. De acordo com informações obtidas pelo jornal O Globo, a expectativa é que a proposta saia, até o final do mês, com vários pontos modificados após as discussões na Casa. Nesse período, foram realizadas cinco audiências públicas sobre o tema, com representantes de órgãos do Sistema Nacional de Trânsito e com entidades ligadas a estudos sobre o tema.

O relator da matéria, o deputado federal Juscelino Filho (DEM-MA) afirmou em entrevista ao jornal O GLOBO que deve apresentar seu parecer nesta semana com “ajustes” em todos os pontos do texto.

O relator falou ainda ao Jornal que um dos pontos mais polêmicos do projeto, o fim da multa para motoristas que desrespeitarem regras de transporte de crianças em veículos, estará na “linha contrária” de seu relatório. Citou ainda que pode ampliar a obrigatoriedade do uso do sistema de retenção.

O relatório pedirá que cadeirinhas sejam obrigatórias para crianças com até dez anos ou 1,45 m de altura. Especialistas defendem essa condição, pois o cinto de segurança foi projetado para pessoas acima dessa altura.

A comissão conta com 34 integrantes e analisa a proposta de forma conclusiva. O colegiado é presidido pelo deputado Luiz Carlos Motta (PL-SP) e tem como relator o deputado Juscelino Filho (DEM-MA).

Se o projeto for aprovado, seguirá diretamente para o Senado, sem passar pelo plenário da Câmara.

O post Relator afirma que pretende modificar pontos do PL que altera o CTB apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

CFC News: novidades sobre PL do Presidente Bolsonaro, feriado violento nas rodovias e extinção do DPVAT

seg, 18/11/2019 - 17:38

Celso Alves Mariano, especialista em trânsito,  apresenta o CFC News com as principais notícias da semana.

PL 3267/19

Relator afirmou ao jornal O Globo que vai mudar pacote de trânsito de Bolsonaro. O projeto do governo que flexibiliza regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) tramita em uma comissão especial da Câmara dos Deputados.

1º Forum Nacional do Programa Vida no Trânsito

O evento aconteceu em Foz do Iguaçu e reuniu representantes de várias cidades do País.

Dia Mundial em Memória às Vítimas de Trânsito

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, mais de 1,25 milhão de pessoas morrem por ano vítimas de acidentes de trânsito.

DPVAT

O presidente Jair Bolsonaro assinou na semana passada uma MP extinguindo, a partir de 1º de janeiro de 2020, o Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por veículos automotores de via terrestre, o chamado DPVAT.

Balanço do feriado

A PRF divulgou o balanço com o número de acidentes nas rodovias federais do País durante o feriado de Proclamação da República.

O post CFC News: novidades sobre PL do Presidente Bolsonaro, feriado violento nas rodovias e extinção do DPVAT apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Em períodos de chuva é necessário redobrar os cuidados no trânsito

seg, 18/11/2019 - 08:17
Foto: Arquivo Tecnodata.

Condições climáticas podem comprometer a segurança no trânsito.  A chuva, por exemplo, pode alterar as condições da via, diminuir a capacidade visual do condutor e modificar padrões de condução e comportamento dos veículos, como a aderência e a estabilidade.

“A chuva além de reduzir a visibilidade, diminui a aderência dos pneus ao solo (principalmente em curvas), aumenta consideravelmente o espaço percorrido em frenagens e dificulta manobras de emergência”, explica Celso Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal.

De acordo com o especialista, o início da chuva pode ser ainda mais perigoso. “A pista pode ficar ainda mais escorregadia, devido à mistura de água com pó e outros resíduos”, afirma Mariano.

Se for inevitável dirigir sob chuva, algumas dicas devem ser seguidas: redobrar a atenção, reduzir a velocidade e aumentar a distância dos demais veículos. Além disso, é imprescindível manter as palhetas do limpador de para-brisas em bom estado e os vidros limpos, desengordurados e desembaçados.

Dias de chuva afetam potencialmente os motociclistas, obviamente por estarem mais expostos. “Se a chuva estiver muito forte, tanto motociclistas como motoristas dos demais veículos devem considerar a hipótese de parar em local seguro e voltar a trafegar apenas quando as condições melhorarem”, diz o especialista.

Aquaplanagem

Durante ou após as chuvas, a água acumulada sobre a pista pode provocar situações especiais de perigo, como a aquaplanagem, que é o fenômeno no qual os pneus não conseguem remover a lâmina de água e, literalmente, perdem o contato com a pista.

Diante do fenômeno, os condutores devem segurar firmemente o volante ou guidão, sem virá-lo. Rodas dianteiras viradas para um dos lados podem levar ao capotamento quando a aderência voltar a existir entre os pneus e a pista.

Outra dica fundamental é desacelerar o veículo e diminuir a velocidade, mas não frear bruscamente, pois se as rodas estiverem travadas no momento que voltar o contato com a pista, o veículo se desgovernará.

 

O post Em períodos de chuva é necessário redobrar os cuidados no trânsito apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Dia Mundial em Memória às Vítimas do Trânsito é celebrado neste domingo (17)

dom, 17/11/2019 - 07:25
Foto: Pixabay.com

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, mais de 1,25 milhão de pessoas morrem por ano vítimas de acidentes de trânsito.  O número de feridos varia entre 30 e 50 milhões de pessoas. Brasil, China e Índia respondem por 40% das mortes globais de acidentes devido ao tamanho da população e à taxa de motorização.

No Brasil, segundo a Seguradora Líder, que administra o DPVAT, em 2018 foram pagas 38.281 indenizações por morte no trânsito. A faixa etária mais atingida no período foi a de 18 a 34 anos.

“Essa é uma tendência que aparece ano após ano nas estatísticas brasileiras. O grupo mais afetado por acidentes de trânsito no nosso país é formado por homens jovens, em idade economicamente ativa”, explica Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal.

Para homenagear essas vítimas, foi criado em 1993 no Reino Unido pela RoadPeace, o Dia Mundial em Memória às Vítimas do Trânsito que é celebrado internacionalmente no terceiro domingo do mês de novembro.

Neste dia são homenageadas não só as pessoas que morreram em decorrência das fatalidades do trânsito, mas também familiares, amigos e todos aqueles que sofrem a perda de entes queridos com tal tragédia. Este ano a data será lembrada neste domingo dia 17.

“A definição mais apropriada para esse dia seria a celebração pela vida. É um momento para a sociedade refletir e propor ações que possam diminuir os números assustadores do nosso trânsito”, explica Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal.

De acordo com o portal oficial sobre o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito (http://worlddayofremembrance.org) , as seis maiores causas de mortes no trânsito são o excesso de velocidade, o consumo de bebidas alcoólicas, a falta de cinto de segurança, a falta de equipamento de segurança para as crianças cadeirinha e o assento de elevação), a falta do capacete aos usuários de motocicleta e o uso do celular.

No Brasil, as ações nesse dia iniciaram em 2007, e este ano várias cidades contam com programação especial para a data.

O post Dia Mundial em Memória às Vítimas do Trânsito é celebrado neste domingo (17) apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Páginas