Notícias

Subscrever feed Notícias
Prevenção, opinião e notícias de Trânsito.
Atualizado: 5 minutos 14 segundos atrás

Acompanhe o Tira-Dúvidas do Portal do Trânsito!

qui, 18/07/2019 - 14:34

Os especialistas Celso Mariano e Eliane Pietsak tiram as dúvidas dos internautas sobre o tema trânsito. O programa vai ao ar todas as quintas-feiras, às 14h30, pelo Facebook. Assista!

O post Acompanhe o Tira-Dúvidas do Portal do Trânsito! apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Três em cada quatro brasileiros não planejam gastos com transporte

qui, 18/07/2019 - 08:20
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Uma pesquisa divulgada durante o evento Summit Mobilidade Urbana 2019, em São Paulo, revelou que o 76% dos brasileiros não fazem qualquer tipo de planejamento quanto aos seus gastos no transporte.

A pesquisa mostrou que há uma grande diferença entre a percepção de quanto se gasta com o transporte e a realidade dos gastos. Entre os donos de carros, essa diferença chega a ser seis vezes maior na realidade do que ele pensa que gasta. O proprietário de automóvel declara gastar, em média, cerca de R$ 357 com o carro, mas o gasto real pode chegar a R$ 2.090,58 por mês, considerando-se também os valores de combustível, IPVA, seguro e manutenção de carro, entre outros.

O gasto médio das despesas com transporte que foram declaradas na pesquisa pelos entrevistados chega a R$ 211, mas esse gasto varia quanto à classe social: na classe A, a média é de R$ 446 por mês, enquanto nas classes D e E esse gasto chega a R$ 158.

Tempo de deslocamento

O estudo mostrou que os brasileiros gastam, em média, 1h20 para se deslocar (ida e volta) para as atividades principais do dia. Esse gasto chega a 2h07 para que se cumpram todos os deslocamentos diários, ou seja, uma pessoa perde cerca de 32 dias por ano no trânsito.

As pessoas das classes D e E são as que levam mais tempo nesse deslocamento: cerca de 130 minutos, a cada dia, seguida pela classe C, em média, 129 minutos, e a classe B, 124 minutos. Enquanto isso, a classe A leva cerca de 94 minutos.

As regiões onde se gasta mais tempo nesses percursos são a Sudeste, com média de 144 minutos, e a Nordeste, com média de 132 minutos. O custo com o congestionamento no país soma perdas de R$ 267 bilhões por ano, o que corresponde a cerca de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil.

Modalidade de transporte

A pesquisa mostrou que os entrevistados usam, em média, três modalidades de transporte a cada semana, sendo a principal o percurso a pé (70% dos entrevistados declaram ser essa a sua principal modalidade de transporte), seguida pelo ônibus (46%) e o carro particular (43%). Já o uso dos carros por aplicativos vem crescendo, atingindo 18% dos entrevistados, mesma quantidade de pessoas que dizem utilizar motos. Em seguida, aparecem as bicicletas e patinetes (16%), metrô, trem, BRT ou VLT (9%) e táxi (7%).

Ainda segundo a pesquisa, 30% dos proprietários de carros disseram que abririam mão do veículo para utilizar outros meios de transporte. Dos entrevistados que tinham carro, 11% informaram que tinham, mas deixaram de ter nos últimos cinco anos. Uma das justificativas seria o gasto com os carros, além de uma mudança no estilo de vida.

A Região Norte é a que mais se anda a pé no país (caso de 85% dos entrevistados) e são os que menos usam carro (23%). Os moradores da Região Norte também são os que mais utilizam motos (32%). A Região Sul é a que mais utiliza carros no Brasil (66% do total dos entrevistados).

De cada dez entrevistados, quatro declararam que é muito difícil ou difícil se locomover no país.

A pesquisa, foi realizada pela Ipsos e encomendada pela 99 App, entrevistou 1,5 mil pessoas de 18 anos ou mais, de todas as regiões do país. O estudo foi realizado entre os dias 29 de abril e 8 de maio.

As informações são da Agência Brasil

O post Três em cada quatro brasileiros não planejam gastos com transporte apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Aproveitando ao máximo os equipamentos de projeção disponíveis no CFC 2

qua, 17/07/2019 - 13:24

Neste segundo post da série “Aproveitando ao máximo os equipamentos de projeção disponíveis no CFC”, você vai aprender sobre os diferentes ajustes possíveis na projeção das Aulas Multimídia da Tecnodata Educacional.

Utilizar bem as tecnologias disponíveis demanda paciência para ler o manual dos equipamentos e softwares e dedicação para fazer os ajustes necessários.

Neste tutorial vamos considerar uma situação que gera muitas dúvidas: uma tela de projeção fazendo par, de forma espelhada ou estendida, com um projetor multimídia que recebe imagens do computador, que pode ser um desktop ou um notebook.

No post anterior (veja aqui) vimos como ajustar o projetor em “modo espelhado”, ou “duplicado”, em relação ao monitor do computador. Agora vamos aprender a estender a tela.

Inicialmente, é importante entender o conceito de tela estendida. Imagine-se sentado no sofá contemplando a paisagem lá fora pela janela. Agora imagine que, enquanto isso, um pedreiro foi até a parede e duplicou a área da janela, permitindo-lhe visualizar outras partes da paisagem que você não estava vendo antes. Isso é tela estendida.

OBS: todas as observações feitas no post anterior, sobre formato de tela (4:3 ou 16:9), devem ser consideradas aqui. Inclusive com todas as combinações possíveis: ambas em 4:3, ambas em 16:9, a principal em 4:3 e a secundária em 16:9 e vice-versa.

Geralmente, ao conectar o projetor, o computador envia para o projetor imagens em formato 4 x 3 e, possivelmente, o projetor vai reconhecer isso e projetar em 4 x 3. Neste caso, como o conteúdo é 16 x 9 (widescreen), não haverá distorção alguma, mas o resultado da projeção é um tamanho menor do que é possível (e aconselhável) obter para que todos os alunos na sala de aula tenham uma boa visualização.

Assista o tutorial com Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal, e aprenda a explorar ao máximo a sua aula multimídia, sem desperdícios de área de projeção. Importante 1: Leia o Manual dos equipamentos Importante 2: na janela em que a Aula Multimídia está sendo exibida, clique no comando para expandi-la ao máximo.

Saiba mais:

Tutorial do Portal do Trânsito 1: explorando recursos para aperfeiçoar a aula

Recursos didáticos grátis para aulas de Primeira Habilitação

Conheça os materiais didáticos Tecnodata para aulas teóricas

 

O post Aproveitando ao máximo os equipamentos de projeção disponíveis no CFC 2 apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Proposta prevê educação para o trânsito em estacionamentos

qua, 17/07/2019 - 08:07
Foto: Freeimages.com

O Projeto de Lei 2662/19 determina que estacionamentos públicos e privados exponham avisos e campanhas sobre educação para o trânsito. O texto altera o Código de Trânsito Brasileiro.

A proposta está em tramitação na Câmara dos Deputados.

Segundo o autor, deputado Célio Studart (PV-CE), a ideia é difundir boas práticas no trânsito a fim de preservar vidas.

Tramitação

A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

As informações são da Agência Câmara

O post Proposta prevê educação para o trânsito em estacionamentos apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Uso do celular também pode desviar a atenção dos pedestres

ter, 16/07/2019 - 13:29
Foto: Pixabay.com

Usar fones de ouvido ou teclar ao celular pode ser perigoso não só para condutores, mas também para pedestres. Mesmo para caminhar em vias públicas, é preciso ter atenção o tempo todo no trajeto para evitar acidentes. “Um atropelamento, independente das causas, é sempre uma tragédia. E em muitos casos pode ser evitado tanto pelo condutor como pelo pedestre”, explica Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) garante muitos direitos ao pedestre, mas também estabelece deveres. Um deles, por exemplo, diz que para cruzar a pista de rolamento o pedestre tomará precauções de segurança, levando em conta, principalmente, a visibilidade, a distância e a velocidade dos veículos.

“O pedestre deve sempre estar atento ao que acontece em sua volta, é possível aumentar a capacidade de previsão, se o pedestre procurar identificar sinais do condutor e dos demais usuários do trânsito como ciclistas e motociclistas”, diz Mariano.

Os condutores também precisam redobrar a atenção quando avistarem pedestres na via. Para o especialista, é importante se colocar no lugar do pedestre. “O condutor deve se lembrar que, na condição de pedestre, ele também se sente vítima da intolerância de outros condutores”, diz Mariano.

Multa para pedestres

No começo desse ano, o Contran revogou uma resolução do próprio órgão que tratava sobre a fiscalização de pedestres e ciclistas. A norma estabelecia a padronização dos procedimentos administrativos na lavratura de auto de infração, na expedição de notificação de autuação e de notificação de penalidades por infrações de responsabilidade de pedestres e de ciclistas já mencionadas no CTB.

Para Mariano, a revogação já era prevista. “Há inúmeras dificuldades para cumprir esta regra. Tanto que houve o adiamento. Era pouco provável que os órgãos de trânsito, nesse meio tempo, tivessem criado a estrutura necessária para fiscalizar e multar pessoas que não possuem cadastro no DETRAN. O sistema atual só considera dados do condutor (CNH, CPF) e do veículo (Chassi, Renavam, placa). Não existe habilitação para pedestres, nem para ciclistas. E bicicletas não têm placas”, explica.

Se no Brasil a multa não foi regulamentada, na cidade de Honolulu, capital do Estado do Havaí (EUA), existe uma lei municipal desde 2017 que proíbe pedestres de atravessar ruas e avenidas fazendo uso de aparelhos celulares. O infrator pode pagar multa de R$ 47 a R$ 310, dependendo da quantidade de flagrantes. A medida, de acordo com divulgação do prefeito local, tem como objetivo reduzir o índice de atropelamento de desatentos.

Em Nova York também se debate para implementar esse tipo de autuação. Lá, se o pedestre for flagrado olhando o celular ao atravessar, poderá ser multado em até US$ 250, caso seja aprovado esse projeto de lei.

Mesmo sem multas, o especialista destaca a importância de obedecer a Lei.

“Mesmo ainda sem regulamentação, os pedestres e ciclistas devem respeitar a legislação de trânsito. Não apenas para evitar multas, mas a razão principal é a segurança no trânsito”, conclui Mariano.

 

O post Uso do celular também pode desviar a atenção dos pedestres apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

É verdade que é preciso quitar multas pendentes para renovar a CNH?

ter, 16/07/2019 - 08:16
Foto: Arquivo Tecnodata.

A renovação do documento de habilitação, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), é um processo que desperta dúvidas nos condutores. E uma delas é essa: é necessário quitar multas vencidas para renovar a CNH?

De acordo com Eliane Pietsak que é pedagoga, especialista em trânsito, é preciso quitar os débitos.

“Conforme consta no artigo 159 do parágrafo 8º do CTB, a renovação da Carteira Nacional de Habilitação ou a emissão de uma nova via somente será realizada após quitação de débitos constantes do prontuário do condutor”, explica.

A especialista diz ainda que vale lembrar que a multa sempre fica vinculada à CNH do proprietário do veículo, que não necessariamente é a pessoa que cometeu a infração.

“Para isso, o Código de Trânsito permite a transferência de multas para o real infrator, mas em período pré-determinado. Quando o proprietário do veículo recebe a notificação da infração, recebe também um formulário para indicação do condutor do veículo. Ele tem o prazo de 15 dias, para apresentar este condutor, então os pontos serão colocados na carteira dessa pessoa. Caso o condutor não seja apresentado, o proprietário do veículo receberá essa pontuação”, diz Pietsak.

Penalidades e procedimentos para fazer a renovação

É infração gravíssima dirigir veículo com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida há mais de 30 dias, com penalidade de multa de R$ 293,47, recolhimento da CNH e retenção do veículo até que alguém com a situação regular vá retirá-lo.

A validade máxima da CNH é de cinco anos para condutores de até 65 anos e de três anos para condutores acima de 65 anos, ou ainda conforme laudo médico.

Para renovar a CNH é necessário realizar o exame de aptidão física e mental e avaliação psicológica (para motoristas que exerçam atividade remunerada).

Desde 2016, para renovar a CNH nas categorias C, D e E é preciso realizar o exame toxicológico para detecção de consumo de substâncias psicoativas.

Todo o passo a passo deste serviço, bem como os documentos necessários e valores, estão disponíveis nos sites dos Departamentos Estaduais de Trânsito (clique aqui para procurar o do seu estado).

Quer saber mais? Com quanto tempo de antecedência é possível renovar a CNH? Pontos na CNH, transporte de crianças, tempo de validade do documento…veja as alterações propostas pelo PL de Bolsonaro ABRAMET se posiciona contra o aumento do prazo de validade dos exames para renovação da CNH 

O post É verdade que é preciso quitar multas pendentes para renovar a CNH? apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

CFC News: instrutor sem Categoria D, oposição a propostas de Bolsonaro e vítima fatal em acidente com patinete elétrico

seg, 15/07/2019 - 18:33

Patinete elétrico

A estrela do YouTube e apresentadora de TV britânica Emily Hartridge foi a primeira vítima fatal de uma ocorrência envolvendo esse tipo de veículo no Reino Unido. Ela colidiu com um caminhão e morreu nesta sexta-feira (12), aos 35 anos. A notícia teve muito destaque por lá e demonstra que o desafio trazido pelo novo modal de transporte é mesmo mundial.

Acaba exigência de CNH Categoria D para ser instrutor de trânsito

O instrutor de trânsito será dispensado da exigência de habilitação na categoria D para exercer sua atividade, conforme estabelecido no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 29/2018, aprovado no Plenário do Senado nesta quarta-feira (10). O texto altera a Lei 12.302, de 2010, norma que regulamenta a atuação dos instrutores de trânsito. Agora só falta a Sansão presidencial.

Fake news

Um vídeo circulou intensamente nos últimos dias nas redes sociais e grupos de whatsapp, divulgando que a CNH passou a validade de 5 anos para 10 anos, que a pontuação de 20 passou para 40 e que os exames de saúde física e mental poderão ser feitos por qualquer médico e inclusive pelo SUS, de forma gratuita. É fake. Estes assuntos estão mesmo no Projeto de Lei apresentado pelo Presidente Bolsonaro em 04/06/19. Mas trata-se apenas um PL que, sabidamente, tem um longo caminho a percorrer até que, talvez, se torne Lei.

Pesquisa mostra que a maioria dos brasileiros se opõe ao plano de Bolsonaro para o trânsito

A pesquisa foi realizada pelo DATAFOLHA nos dias 4 e 5 de julho, com 2.006 pessoas acima de 18 anos, em 130 municípios. As medidas anunciados pelo Presidente foram um aceno para parte de seu eleitorado, principalmente os caminhoneiros. Na época, ele afirmou que quem reclama das propostas “que procure um taxista, motorista de caminhão, quem vive no trânsito, [que] às vezes com um pequeno descuido perde a carteira de trabalho”. O fim de radares de rodovias federais é rechaçada por 67% dos entrevistados, a duplicação de limite na CNH, por 56%, e o aumento do limite de 20 para 40 pontos para a suspensão da CNH, por 56%. Dentre pessoas com CNH, 70% são contrários ao fim da multa pela falta de cadeirinha, 58% desaprovam o plano de retirar radares das estradas e 50% não concordam com o aumento de 20 para 40 pontos. Estes números podem estar indicando um amadurecimento na percepção dos riscos do trânsito pelos cidadãos.

DICAS para instrutores:

Em período de férias escolares é oportuno levar dois assuntos para os alunos da primeira habilitação: o uso do cerol em linhas para empinar pipas e seus perigos, sempre mais comuns nas ruas nesta época do ano, e o volume da frota circulante nas cidades, que costuma variar na ordem de 30%, impactando na fluidez e na segurança do trânsito. Ambos assuntos podem encontrar mais receptividade para se falar de Direção Defensiva e respeito às regras, nesta época do ano.

 Sorteio da camiseta com #NÃOdivulgueBlitz: participe! Clique aqui. para saber mais.

O post CFC News: instrutor sem Categoria D, oposição a propostas de Bolsonaro e vítima fatal em acidente com patinete elétrico apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Atenção: jogar lixo na rodovia é ilegal e pode causar multa

seg, 15/07/2019 - 08:11

Quem atirar qualquer objeto pela janela do carro em uma rodovia pode colocar a vida de dezenas de pessoas em risco. Uma bituca de cigarro, por exemplo, pode resultar em um grave incêndio. E muita gente não tem conhecimento dessas regras importantes de segurança.

Arremessar lixo em uma via é considerado infração média pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que prevê uma multa de R$ 130,16 e perda de quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Dependendo do volume de dejetos abandonados, o motorista pode responder a processo por crime ambiental.

Objetos de metal no asfalto podem ser arremessados com a mesma velocidade de uma bala pelos pneus de carros e caminhões. Restos de comida atraem animais, que podem provocar acidentes com veículos. Mas, apesar dos alertas, o risco é ignorado.

Para recolher o lixo, centenas de funcionários (entre coletores, motoristas e outros profissionais) percorrem as rodovias do Estado de São Paulo e transportam os detritos até um depósito. O trabalho é estabelecido nos contratos de concessão, mantido com o dinheiro dos pedágios, e fiscalizado pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

As informações são do Portal do Governo do Estado

O post Atenção: jogar lixo na rodovia é ilegal e pode causar multa apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Você quer ganhar uma camiseta “#NÃOdivulgueBlitz”? Veja como se inscrever!

dom, 14/07/2019 - 08:50
O Portal do Trânsito irá sortear exemplares da camiseta #NÃOdivulgueBlitz” como essa que está na foto. Foto: Divulgação.

O Portal do Trânsito irá sortear, no dia 08 de agosto de 2019, três exemplares da camiseta “#NÃOdivulgueBlitz“. A peça é uma iniciativa de Carlos Augusto Elias, especialista em trânsito que é mais conhecido como Prof. Carlão. Ele é responsável pelo canal “Manual do Trânsito” no Youtube, onde é possível encontrar vídeos com os mais diversos temas referentes à Mobilidade Urbana, Trânsito e Transportes.

“Sabemos que o poder público ainda tem muito a fazer. Mas a boa notícia é que podemos fazer nossa parte…Muitas pessoas têm uma cultura de quando presenciam uma blitz de trânsito, de alertar outros condutores sobre elas. Há uma ideia inconsciente de que estamos ajudando, mas quem de fato estamos ajudando? Pessoas embriagadas? Sequestros relâmpagos? Traficantes de drogas, armas e até animais? Certeza que estamos ajudando as pessoas erradas. Isso faz algum sentido para você? #NaoDivulgueBlitz”, disse o Prof. Carlão, em um de seus vídeos.

Para participar do sorteio, basta preencher o formulário no link abaixo, e no corpo da mensagem escrever: “Eu quero concorrer a camiseta “#NÃOdivulgueBlitz”. As inscrições poderão ser feitas até o dia 06 de agosto. O sorteio ocorrerá, ao vivo, no dia 08 de agosto de 2019, durante o Programa Tira-Dúvidas, no canal do Portal no Facebook.

Lembre-se de preencher os dados corretamente, pois se faltarem informações ou o e-mail de validação voltar, a inscrição não é efetivada. Para preencher o fomulário, clique aqui.

O post Você quer ganhar uma camiseta “#NÃOdivulgueBlitz”? Veja como se inscrever! apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Mais uma Fake News: validade da CNH não aumentou para 10 anos. Fique atento!

sab, 13/07/2019 - 08:15

Um vídeo circulando nas redes sociais espalha a informação falsa de que “Acabou de ser feita uma coletiva de imprensa ao vivo em Brasília, onde a CNH passou a validade de 5 anos para 10 anos, a pontuação de 20 passou pra 40 e tirou a exclusividade dos exames serem feitos pelo DETRAN poderá ser feito por qualquer médico e inclusive pelo SUS GRATUITO”.

Todos esses pontos citados estão num Projeto de Lei apresentado pelo governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados, dia 04 de junho de 2019. O vídeo que circula foi gravado nesse dia, e se refere à apresentação do PL, não uma coletiva que coloca em vigor a regra.

O que isso quer dizer? Diferente do que a mensagem propaga, essas regras não estão valendo e para entrar em vigor, a proposta deverá ser analisada pelas comissões da Câmara e depois ser votada por deputados e senadores.

O Portal do Trânsito destaca que o jornalismo deve ser baseado em ética e compromisso com a verdade.

Sempre que receber esse tipo de mensagem é necessário verificar a informação em sites confiáveis, como é o caso do Portal do Trânsito. E só compartilhar informações quando se tem certeza da veracidade dos fatos.

O post Mais uma Fake News: validade da CNH não aumentou para 10 anos. Fique atento! apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Cartilha orienta pais sobre transporte correto de crianças em veículos

sex, 12/07/2019 - 14:00
Foto: Arquivo/Agência Brasil

O Conselho Federal de Medicina (CFM), a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lançam na próxima semana uma cartilha para ajudar pais e responsáveis a colocar crianças no carro de maneira correta, sem prejuízos à saúde.

Segundo a cartilha, crianças devem sempre que possível ser transportadas no banco traseiro dos veículos automotores e preferencialmente ocupar a posição central nesse banco. Caso o veículo não tenha cinto de três pontos na posição central do banco traseiro, o dispositivo de retenção infantil deverá ser instalado nas posições do banco de trás onde houver esse cinto. O airbag do passageiro deverá ser desativado quando o veículo transportar crianças no banco da frente.

“Esses equipamentos foram projetados para dar mais segurança aos usuários em casos de colisão ou de desaceleração repentina. Conforme mostram os números, eles têm sido fundamentais para salvar milhares de vidas ao longo destes anos”, diz o primeiro vice-presidente do CFM, Mauro Ribeiro.

A cartilha conta com orientações do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e da Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo Antônio Meira Júnior, diretor da Abramet e um dos idealizadores do livreto, os médicos são profissionais fundamentais para recomendar a forma apropriada de conduzir uma criança em um veículo.

A cartilha completa pode ser consultada na internet.

O post Cartilha orienta pais sobre transporte correto de crianças em veículos apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Senado aprova fim da exigência de CNH na categoria D para instrutor de trânsito

qui, 11/07/2019 - 15:25
A relatora do PLC 29/2018, senadora Mailza Gomes (PP-AC), concordou que a atual exigência legal de, no mínimo, um ano de habilitação na categoria D impõe um ônus “desarrazoado e desproporcional” aos instrutores de trânsito. Foto: Divulgação.

O instrutor de trânsito será dispensado da exigência de habilitação na categoria D para exercer sua atividade, é o que estabelece Projeto de Lei da Câmara (PLC) 29/2018, aprovado no Plenário do Senado nesta quarta-feira (10). O texto altera a Lei 12.302, de 2010, norma que regulamenta a atuação dos instrutores de trânsito.

A matéria vai à sanção presidencial.

A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria D permite ao motorista conduzir veículos utilizados no transporte de passageiros, cuja lotação exceda oito pessoas, excluindo o condutor. É o caso de ônibus e micro-ônibus.

A proposta foi apresentada pelo então deputado federal Esperidião Amin (PP), hoje senador por Santa Catarina. A intenção foi corrigir “um equívoco e uma desproporção” na Lei 12.302, de 2010, sem causar prejuízos à qualidade do processo de formação de condutores e à segurança do trânsito.

A relatora do PLC 29/2018, senadora Mailza Gomes (PP-AC), concordou que a atual exigência legal de, no mínimo, um ano de habilitação na categoria D impõe um ônus “desarrazoado e desproporcional” aos instrutores de trânsito.

“Como bem adverte o autor, a exigência de que um instrutor que apenas irá ministrar aulas teóricas para candidatos à habilitação na categoria “A” (condução de veículo com duas ou três rodas, como moto), por exemplo, seja habilitado na categoria D é um requisito legal excessivo e sem sentido, e sua supressão não causaria nenhum prejuízo à qualidade do processo de formação de condutores ou à segurança do trânsito”, reforça Mailza no parecer.

As informações são da Agência Senado

O post Senado aprova fim da exigência de CNH na categoria D para instrutor de trânsito apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Hoje é dia de tirar dúvidas sobre o trânsito. Participe!

qui, 11/07/2019 - 14:32

Todas as quintas-feiras, às 14h30, o Portal do Trânsito realiza uma transmissão ao vivo, pelo Facebook, para responder as dúvidas dos internautas. Assista aqui e participe!

O post Hoje é dia de tirar dúvidas sobre o trânsito. Participe! apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Dirigir na Cidade X Dirigir em Rodovias

qua, 10/07/2019 - 16:04
Foto: Arquivo Tecnodata.

Todo condutor de veículos, habilitado, sabe que há muitas diferenças entre dirigir em estradas e nas ruas das cidades, ou deveria saber. Será que os alunos do seu Centro de Formação de Condutores (CFC) sabem disso?

Muitos recém habilitados acreditam que sabem dirigir na estrada e pensam até que é mais fácil. Entretanto, vale observar e alertar seus alunos que essa confiança é, na maioria das vezes, perigosa. E é um dos motivos apontados como causas de acidentes.

Aparentemente, são similares no que diz respeito à prática da direção, no entanto, o comportamento é bem diferente por parte dos condutores, profissionais ou não. É importante ter consciência disso.

Uma das diferenças é a velocidade. Na cidade, o condutor pode até ter 5 segundos para voltar atrás ao tentar mudar de pista, na estrada isso nem sempre é possível pois o veículo que enxergamos pelo retrovisor e parece distante, pode chegar em dois segundos e vacilar pode trazer consequências muito sérias. O tempo de reação na estrada é muito menor, bem como a visão periférica.

As ultrapassagens exigem muita atenção e responsabilidade, é preciso conhecer os limites do veículo, se ele responde bem a aceleração ou se demora para ganhar velocidade.

Na cidade, muitas vezes, presenciamos os motoristas disputando espaço uns com os outros, uma infantilidade que na estrada pode resultar em morte absolutamente evitável. Nas ruas da cidade é tolice impedir que outro veículo passe à frente, na estrada é estupidez se impor a outro veículo. O melhor a fazer é deixar passar.

Não importa se o outro veículo está trafegando acima do limite permitido para a via, essa é uma questão que deve ser resolvida pelos agentes de fiscalização.

Os veículos na cidade, regra geral, trafegam mais vazios, na estrada é comum a circulação de carros com passageiros e bagagens, fazendo com que o carro precise de mais tempo para ganhar velocidade (o que deve ser observado como um importante fator para as ultrapassagens) ou parar, o que pode resultar em uma colisão, muitas vezes fatal.

Alguns fatores importantes para uma direção segura na estrada:

– Concentração: nunca dirigir cansado ou com sono, dirigir na estrada exige que o condutor esteja bem-disposto;

– Respeito a sinalização;

– Respeito aos limites de velocidade, ainda que questione esses limites, deve-se respeitar;

– Acenda sempre os faróis, mesmo durante o dia para ser “visto”;

– Manter sempre uma fresta das janelas abertas para evitar que o deslocamento de ar dentro do automóvel ao ser ultrapassado por um veículo de grande porte, balance o carro deixando a direção desestabilizada. O mesmo acontecerá se todas as janelas estiverem fechadas;

– Manter distância segura do carro da frente. Para determinar isso há uma regrinha básica e simples: escolher um ponto fixo na via, aguardar que o veículo da frente ultrapasse esse ponto, contar 2 segundos e só então voltar a acelerar, em média isso corresponde a 2 carros de distância;

– Em vias de pista dupla, permanecer na pista da direita e só utilizar a pista da esquerda para ultrapassagem, principalmente se for um motorista inexperiente;

– Utilizar a seta sempre que for se ultrapassar outro veículo ou mudar de faixa para que os outros veículos saibam a sua movimentação;

– Não parar no acostamento, somente em caso de emergência e, em hipótese alguma (salvo orientação dos agentes de fiscalização) utilizar o acostamento para ultrapassagens;

– Reduzir a velocidade ANTES de uma curva, nunca durante a manobra: observar a sinalização e acreditar nela!

– Com chuva a atenção deve ser redobrada. Caso não se sinta confiante, deve parar em algum local permitido como: áreas destinadas a descanso, postos de serviços, áreas de atendimento ao usuário definidas pelas concessionárias de pedágio. Se decidir seguir em frente, reduza a velocidade e fique muito atento pois, muitas vezes, poças d’água na pista podem esconder buracos que desestabilizam o veículo ao passar por eles. Existe a possibilidade de outros veículos, circulando em sentido contrário, jogar água no vidro dianteiro do veículo, cegando-o momentaneamente. Nesse caso, o melhor a fazer é manter a calma, não pisar bruscamente no freio, segurar o volante e tirar o pé do acelerador;

– NUNCA usar o celular enquanto dirige: na cidade ou na estrada. Um segundo de distração pode ser a causa de muitas mortes.

Lembre-se sempre que, para garantir uma viagem segura, deve fazer uma revisão geral no carro: óleo, água do radiador e do para-brisa, verificar as borrachas dos limpadores, calibrar pneus (inclusive o estepe), luzes (faróis, setas, lanternas de freio e ré), freios, ferramentas e triângulo e muito importante: nível do combustível!! Ao acomodar as bagagens, distribua bem no porta malas, evitando colocar bagagem dentro do veículo pois, em uma freada brusca, objetos soltos dentro do veículo podem ser arremessados contra os ocupantes e machucar seriamente.

Começar devagar, se possível, acompanhado de uma pessoa de confiança, que tenha mais experiência em dirigir na estrada, é sempre bom.

É importante lembrar que a nossa responsabilidade no trânsito não se restringe a apenas conduzir o veículo, o respeito pelo outro, as atitudes preventivas devem estar sempre presentes em nosso dia a dia, seja na cidade ou na estrada.

O post Dirigir na Cidade X Dirigir em Rodovias apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Quais modificações e acessórios para carros são permitidas pela lei?

qua, 10/07/2019 - 08:12

Equipe da ClickSound, loja de acessórios para carros

Conhecer da lei é a chave para tunar seu carro com tranquilidade. Foto: Pexels.com

Se você tem interesse por personalização de veículos e gosta de cuidar do seu carro, é ideal conhecer um pouco mais sobre a lei antes de fazer qualquer tipo de modificação.

Considerando as exigências do DETRAN em relação a personalização de veículos, conhecer da lei é a chave para tunar seu carro com tranquilidade.

Por isso, descubra no artigo de hoje quais modificações e acessórios para carros são permitidos e proibidos pela lei! Acessórios e modificações no carro: Permitidos x Proibidos Rebaixamento de veículo

O rebaixamento de carros é permitido, desde que seja feito de acordo com os limites estabelecidos pela legislação.

Portanto, para rebaixar o veículo dentro da lei, é necessário que haja uma altura mínima de 100mm entre o o solo e o ponto mais baixo da carroceria.

Além disso, o conjunto das rodas e pneus não deve tocar em alguma parte do veículo quando for submetido ao teste do DETRAN.

Alguns modelos de Insulfilm

O uso do insulfilm também é permitido, mas é o item que mais causa complicações com a fiscalização de trânsito.

Isso porque, os modelos permitidos pela legislação costumam deixar a película ainda muito clara para os motoristas que querem segurança e privacidade.

De acordo com a legislação, o insulfilm deve ter:

  • Pelo menos 75% de transparência no para-brisa;

  • No mínimo 70% de transparência nos vidros dianteiros laterais;

  • 50% de transparência mínima para os vidros laterais traseiros;

  • O vidro traseiro deve ter 28% de transparência.

Portanto, se você quer instalar o insulfilm dentro da lei, faça apenas seguindo esses limites.

Faróis de Xenon

Os faróis de xenon são lâmpadas sem filamentos, mas que possuem um gás em seu interior chamado xenônio.

Esse gás provoca um brilho de alta intensidade e é o motivo de atrair tantos apaixonados por tuning.

Porém, os faróis instalados de fábrica no carro possuem um sistema antiofuscamento que garante a segurança dos motoristas na direção oposta.

O xenon não possui esse sistema de segurança e por isso, é proibido pela lei.

Aliás, qualquer farol que não tenha o sistema de antiofuscamento já é considerado adaptação do xenon e pode te gerar uma multa.

Tela em Centrais Multimídias

Algo que poucas pessoas sabem é que, apesar de as centrais multimídias serem permitidas na lei, o uso de telas nesse equipamento é considerado uma distração do motorista e um risco à sua segurança.

Por isso, você até pode instalar uma central multimídia, mas é proibido que ela tenha sistema de conteúdo visual como vídeos e filmes, só é permitido nos bancos dos passageiros.

No painel dianteiro, o GPS é o único conteúdo visual permitido nas centrais.

Outra exceção é que, com o carro estacionado, você pode assistir à Central, mas o carro deve ter um sistema de bloqueio de imagem ao liberar o freio de estacionamento.

Rodas Esportivas

As rodas esportivas atraem diversos motoristas pelo visual luxuoso e pela maleabilidade dessas rodas, que possibilita diversos designs personalizados.

Porém, a legislação diz que para instalar rodas esportivas, a roda não deve ultrapassar os limites externos do para-lama.

Além disso, as novas rodas devem manter o diâmetro original (soma entre roda e pneu). Para isso, é válido fazer a instalação apenas com um profissional de confiança.

Envelopamento de carro

O envelopamento de veículos é uma opção para proteger a lataria e a pintura do carro, aumentando sua durabilidade.

O envelopamento é permitido, desde que, caso a alteração seja feita em mais de 50% do veículo, o motorista deve registrar junto a DETRAN a alteração da cor no CRV.

A vantagem é que se a cor do envelopamento for a mesma do veículo, não é necessário modificar no CRV.

 

O post Quais modificações e acessórios para carros são permitidas pela lei? apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Sancionada lei que endurece punição para transporte irregular de escolares

ter, 09/07/2019 - 14:45
A nova lei foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) sem vetos. Foto: Arquivo Tecnodata.

Foi publicada nesta terça-feira (9) no Diário Oficial da União Lei 13.855, que aumenta a punição para transporte irregular de escolares e remunerado de bens ou pessoas. A nova lei foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) sem vetos.

A norma é baseada em Projeto de Lei de autoria do deputado Daniel Coelho (Cidadania-PE). O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 109/2017aprovado em 2017 e pelo Senado no mês passado, altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Segundo a nova regra, conduzir o veículo sem portar a autorização para condução de escolares, passa a ser infração gravíssima, com multa (multiplicada por 5) no valor de R$ 1.467,35 e remoção do veículo. Atualmente a infração era considerada grave com multa de R$ 195,23.

Já para quem efetuar transporte remunerado de pessoas ou bens, quando não for licenciado para esse fim, a infração também passa a ser gravíssima, mas com valor de R$ 293,47, também com medida administrativa de remoção do veículo. A infração antes era considerada de natureza média, com multa de R$ 130,16.

As novas punições entram em vigor em 90 dias a contar desta terça-feira.

 

O post Sancionada lei que endurece punição para transporte irregular de escolares apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Novas tecnologias aumentam segurança veicular, mostra pesquisa

ter, 09/07/2019 - 08:11

Por Natalia Pianegonda –

Agência CNT de Notícias

Levantamento com dados sobre 72 mil veículos aponta que recursos avançados de assistência ao motorista contribuíram para evitar colisões. Foto: Agência CNT_Divulgação.

Uma pesquisa feita pela Consumer Reports, uma organização independente e sem fins lucrativos que trabalha pela transparência no mercado de consumo, aponta que recursos avançados de assistência ao motorista (ADAS, na sigla em inglês) têm feito a diferença na segurança de motoristas e passageiros. O levantamento foi feito junto a consumidores que forneceram informações sobre cerca de 72 mil veículos à entidade.

Entre os recursos, estão sistemas de alerta de colisão frontal, frenagem de emergência automática e aviso de ponto cego. As tecnologias utilizam câmeras, radares e outros sensores e o processamento de informações por computadores para identificar riscos e ativar mecanismos que impedem os acidentes.

Dos participantes, 57% relataram que pelo menos um recurso avançado de assistência ao motorista presente em seus veículos impediu alguma colisão.

Os entrevistados mostraram maior satisfação com a frenagem de emergência automática, o controle de cruzeiro adaptativo (que mede a velocidade do carro e mantém uma distância estipulada do veículo à frente) e o aviso de ponto cego.

O sistema que mais contribuiu para evitar colisões foi o aviso de ponto cego, destacado por 60% dos entrevistados. O alerta de tráfego cruzado traseiro e a travagem automática traseira (que emitem alerta e param o carro quando o veículo está em marcha ré e existe algum obstáculo) impediram colisões traseiras para 52% dos entrevistados. O controle de cruzeiro adaptativo foi relevante para 19%.

O post Novas tecnologias aumentam segurança veicular, mostra pesquisa apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

CFC News: condutor embriagado deverá ressarcir SUS, telemetria e pesquisa sobre segurança

seg, 08/07/2019 - 16:55

A jornalista Mariana Czerwonka apresenta o CFC News com as principais notícias da semana.

Ressarcimento SUS

Um projeto de lei do senador Wellington Fagundes (PL-MT) está em discussão no Senado para tratar de acidentes de trânsito provocados por motoristas embriagados.

Telemetria 

O assunto agora é o uso de telemetria nas aulas práticas. Começa hoje no Mato Grosso, o prazo para que os Centros de Formação de Condutores implantem o sistema, que permite o controle e registro das aulas práticas de direção veicular para a formação de condutores.

Segurança Veicular

Uma pesquisa feita pela Consumer Reports aponta que recursos avançados de assistência ao motorista (ADAS, na sigla em inglês) têm feito a diferença na segurança de motoristas e passageiros.

O post CFC News: condutor embriagado deverá ressarcir SUS, telemetria e pesquisa sobre segurança apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Oportunidade ou ameaça: app de instrutores oferece treinamento para habilitados

seg, 08/07/2019 - 08:14
A grande dúvida é se o aplicativo veio para acabar com o emprego dos instrutores. Foto: Pixabay.com

Um aplicativo, no estilo Uber (só que com instrutores cadastrados), que se propõe a ensinar condutores habilitados a dirigir com segurança e habilidade: é isso que o 77 Drive está apostando com sua plataforma, lançada há pouco tempo no mercado.

Muitos instrutores estão se perguntando se essa é uma ameaça ou uma oportunidade de trabalho, afinal qualquer instrutor pode se cadastrar, assim como qualquer pessoa pode se cadastrar como motorista do Uber.

É preciso deixar claro que esse treinamento só poderá ser realizado por pessoas já habilitadas. A legislação brasileira não permite que candidatos em processo de primeira habilitação aprendam a dirigir fora de um Centro de Formação de Condutores (CFCs).

O aplicativo começou em São Paulo, depois se expandirá para o Sudeste e para o restante do País.

Em entrevista à Marcia Pontes, no canal Superação do Medo de Dirigir, Francisco Soares, um dos idealizadores do projeto, defendeu que o aplicativo veio para modernizar a forma como se contrata aulas de direção. “Em contrapartida queremos melhorar a forma com se ensina e como se aprende a dirigir. Queremos padronizar o comportamento dos condutores”, afirmou Soares na entrevista à Márcia Pontes.

Como foi dito anteriormente, o aplicativo é destinado a pessoas que já tem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

“É para aquela pessoa que infelizmente não teve tempo hábil para aprender na autoescola ou fez tudo e a autoescola não atendeu da melhor forma possível. A gente sabe que o tempo é curto, não dá para aprender muita coisa”, explicou o representante do App.

A grande dúvida é se o aplicativo veio para acabar com o emprego dos instrutores. De acordo com Soares, o aplicativo oferece justamente o contrário. “O aplicativo tem como objetivo melhorar as condições de ensino para os instrutores e para os alunos. Além de tornar possível que os instrutores aumentem a sua renda mensal ou semanal. Viemos para agregar, não acabar”, disse Soares em resposta a Márcia Pontes.

Para se cadastrar no aplicativo há algumas exigências. Para completar o cadastro, o aplicativo pedirá alguns documentos indispensáveis que deverão ser enviados para os administradores, como forma de validar o cadastro. Dentre esses documentos está a CNH – de acordo com os organizadores, mesmo com pontos na CNH será possível o cadastro- a credencial do instrutor junto ao Detran, além de dados do veículo.  O veículo que será utilizado pelo instrutor deve estar em dia com a documentação e em boas condições, e ser, no mínimo, do ano de 2008.

Os instrutores, assim como os motoristas do Uber, também serão avaliados no aplicativo.

“Estaremos sempre monitorando e aqueles instrutores que não seguirem a risca os critérios de segurança levando a melhor aula e os melhores conceitos de segurança para o aluno, terão suas aulas invalidadas tanto pelo aluno quanto por nós do aplicativo”, respondeu Soares.

O que pensam os instrutores

Fabrício Medeiros, instrutor de trânsito de Santa Catarina, acha a ideia interessante. “Atingirá um público que, muitas vezes, acha dispendioso procurar um CFC para treinar, ou tem vergonha de ser visto num carro de autoescola. Também há aqueles que nem sabem que os CFCs oferecem esse serviço ou não conhecem os autônomos, conhecidos como “Treinamento para Habilitados”. Isso irá ajudar muito a essas pessoas”, afirma.

Para Medeiros, o aplicativo não afetará o trabalho do instrutor no CFC.

“Não trará grande impacto, visto que a legislação não permite para Primeira Habilitação. Além disso, percebo ser pouco o volume de treinamento para habilitados. Na verdade creio até que trará um bom aumento de ganhos para a classe”, acredita o instrutor.

Existe apenas uma preocupação sobre o fato do instrutor cadastrado poder ter pontos na CNH. “Particularmente ter pontuação não desabona o instrutor frente ao aluno, pois provavelmente não terá acesso a este dado, porém deve-se constatar se não é um infrator contumaz”, diz o instrutor.

Para Anna Maria Garcia Prediger, que é instrutora de trânsito e também dá aula para habilitados no Paraná, a ideia também parece ser interessante. “Acho que se for como uma plataforma, que tem bons profissionais e tem como ter uma segurança e realizar avaliações, é interessante sim”, conclui a instrutora.

Já a instrutora Carla Clara, do Rio de Janeiro, vê a iniciativa com preocupação.

“Acho arriscado. Na minha opinião, é mais seguro procurar as empresas que hoje são autorizadas pelo Detran a dar aula, que no caso são as autoescolas”, argumenta.

A entrevista completa, com detalhes do aplicativo, divulgada pela especialista Márcia Pontes, você encontra aqui.

O post Oportunidade ou ameaça: app de instrutores oferece treinamento para habilitados apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Lâmpadas de faróis e lanternas: cuidados essenciais na troca

dom, 07/07/2019 - 08:44
para manter a qualidade e eficiência do sistema de iluminação, é preciso ficar atento quanto à procedência das marcas e à compatibilidade técnica do modelo adquirido. Foto: Divulgação Arteb

Trafegar com o sistema de iluminação do veículo deficiente, além de ser passível de multa, conforme o Art. 230 – XXII – do Código de Trânsito Brasileiro, pode comprometer a segurança no trânsito e ocasionar graves acidentes. “A qualquer um que esteja habituado a observar a circulação de veículos, é comum verificar um dos faróis apagado ou mesmo ambos os faróis com iluminamento reduzido, em comparação com o sistema de iluminação de outros veículos, sendo que este mesmo problema se observa nas lanternas traseiras”, afirma Egidio Vertamatti, gerente de engenharia da Arteb.

Ele explica que isto ocorre com certa frequência porque, em geral, o consumidor realiza a troca das lâmpadas apenas quando se dá conta ou é avisado de que elas queimaram.

“O ideal é que a troca seja feita periodicamente, antes que o desgaste inerente ao uso se acentue e o condutor tenha parte do seu sistema de iluminação comprometido”, alerta.

É aconselhável ter sempre um conjunto reserva de lâmpadas para assegurar a substituição em situações adversas, como durante viagens.

Instalação das lâmpadas requer atenção

Segundo Vertamatti, para garantir o funcionamento adequado do sistema de iluminação, é preciso que a conexão elétrica, sempre que retirada para a troca das lâmpadas, seja recolocada com cautela para que não sofra  alterações das condições normais de uso, pois o encaixe parcial deixaria o conector propício a soltura ou intermitências de sinal elétrico.

A parte de vedação do farol também deve ser retirada e, ao fim do procedimento, recolocado sem alterações quanto à localização, encaixe e fixação dos componentes. “Aqui todo cuidado é importante já que este componente é responsável por preservar o interior do farol quanto maximamente imune à entrada de água”, adverte.

Ele lembra que o encaixe e a fixação da lâmpada requerem atenção, sobretudo para que sejam evitadas quaisquer modificações no posicionamento da lâmpada e, com isso, consiga preservar a situação correspondente ao projeto óptico, desenvolvido pelo fabricante.

Após todo o procedimento de troca da lâmpada, é fundamental conferir a regulagem dos faróis, pois as variações dimensionais entre lâmpadas podem resultar em mudança de alinhamento da projeção luminosa.

Além destes cuidados, para manter a qualidade e eficiência do sistema de iluminação, é preciso ficar atento quanto à procedência das marcas e à compatibilidade técnica do modelo adquirido (mesmas potência e cor, por exemplo). Por fim, a substituição deve ocorrer sempre em pares, pois quando um filamento falha, o outro está na iminência de apresentar o mesmo problema.

O post Lâmpadas de faróis e lanternas: cuidados essenciais na troca apareceu primeiro em Portal do Trânsito.

Páginas